Sexta, 24 de Novembro de 2017

Jovem, levanta-te!

5 JUN 2010Por 20h:40

Um acontecimento emocionante. Uma cena comovente. Um encontro transformador. O Mestre dos mestres está entrando na cidade seguido dos discípulos e de outros ouvintes empolgados e orgulhosos por merecerem o privilégio de participar de tantas maravilhas e de tantos prodígios realizados por ele. O encanto e a alegria tomavam conta de todos os semblantes e de todos os corações.

Enquanto essa alegria e essa euforia entravam, semblantes marcados pela dor e pelo sofrimento saíam levando consigo a expressão triste e abatida pela morte de um jovem que era a única riqueza e segurança de uma mãe viúva. É a dor que se encontra com o alívio. É o sofrimento que se depara com o consolo. E é a morte que se encontra com a vida: “Jovem, eu te ordeno, levanta-te” (Lc.7,14).

Não foi apenas o jovem que obedeceu, que deixou a morte e se levantou para continuar celebrando a vida. Não foi apenas a mãe viúva que se desfez das roupas da dor e do luto e retomou seu semblante alegre e contente por ter recuperado a segurança e o sustento que o filho lhe proporcionava. Não foi apenas o povo que também passou da tristeza para a alegria, do pesar para a satisfação e da solidariedade para a celebração feliz.

Tudo mudou. O encontro inesperado com o Senhor da compaixão e da vida transformou todo o ambiente, todos os semblantes e todos os sentimentos. É o Deus do amor e da ternura que se compadece dos empobrecidos e transforma suas dores em atitudes de contentamento e vida nova. Devolve-lhes a dignidade, a confiança e a força de viver.
É o Deus da vida que socorre quem está lamentando a morte. É o Deus do perdão que acolhe quem se encontra mergulhado no pecado. É o Deus da misericórdia a resgatar quem se encontra no vício. É o Deus da bondade abrindo o coração de quem se encontra prisioneiro do ódio. É o Deus da esperança que vem reanimar quem se encontra no desânimo. É o Deus da ressurreição que vem diariamente oferecer a si mesmo como alimento e como remédio contra todos os males.

Ele se encontra a caminho. Não para. Não se detém para celebrar conquistas e vitórias. Continua seu caminho. Pois existem muitos caídos pela fome. Existem muitos mutilados pelas injustiças. Existem muitos prisioneiros pelos vícios. Existem muitos cegos vítimas da mentira e da hipocrisia. Existem muitos surdos e mudos por não terem acesso à verdade.

E o Mestre dos mestres continua se aproximando com todo o seu amor e sua compaixão e lhes diz: “Levanta-te!” Esse convite certamente vem acompanhado de um olhar meigo e carinhoso e de um gesto alegre e seguro. Ninguém se atreverá a desprezar esse convite, esse olhar e esse gesto, pois aí se encontra a certeza de uma vida nova iluminada pelo entusiasmo e pela alegria de reencontrar a graça de viver feliz.

Mas existem ainda muitos seres humanos privados da paz no coração, de forças para perdoar ou pedir perdão, de coragem para uma reconciliação e de fé para sentir a presença de Deus. Mas Deus é Pai e pacientemente se oferece para ser luz, esperança e consolo.

 Frei Venildo Trevizan

Leia Também