Quarta, 22 de Novembro de 2017

Jovem fica 5 horas refém de bandidos e tem carro queimado

17 JUL 2010Por 07h:30
karine cortez

O jovem Pedro Correia Tredezim, 22 anos, sofreu sequestro relâmpago na noite de quinta-feira, em Campo Grande, e ficou por cinco horas refém dos bandidos. O carro da vítima, um Fiat Palio, foi encontrado na manhã de ontem totalmente carbonizado. De acordo com o delegado Geraldo Barbosa Marim, adjunto da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos (Defurv), os sequestradores incendiaram o Palio com intuito de apagar qualquer vestígio como, por exemplo, impressões digitais.
De acordo com boletim de ocorrência policial registrado na Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) às 5h45min, o sequestro aconteceu nas imediações da Universidade Uniderp Anhanguera quando o rapaz desceu do veículo para ir ao Bar 21, no Bairro Antônio Vendas, por volta das 23h40min de quinta-feira. Segundo depoimento da vítima, quatro pessoas armadas o abordaram, sendo três homens e uma mulher. Ele foi encapuzado, colocado no banco traseiro do veículo e levado para uma residência, onde permaneceu refém de um dos bandidos por cinco horas.
Já por volta das 5h, o rapaz foi deixado a pé na saída para Três Lagoas, onde começou a pedir por socorro na estrada e um caminhoneiro que o viu acionou a polícia. Pedro disse à polícia que não foi possível reconhecer os bandidos e nem mesmo o local onde foi mantido refém pelo fato de estar encapuzado. Além do carro, os sequestradores também roubaram do jovem documentos pessoais, cartões de crédito e a quantia de R$ 80.
A Defurv vai investigar o caso e há suspeita de que os bandidos tenham roubado o veículo para praticar outros assaltos na cidade.

Veículo
O Fiat Palio foi encontrado na Rua Lise Rose Lima, esquina com Rua Barra Bonita, na Chácara dos Poderes. De acordo com a polícia, um morador da área rural viu o carro ainda com algumas chamas no pneu às 6h30min quando saiu para o trabalho e acionou a Polícia Militar, que identificou o veículo como sendo de Pedro.
O delegado da Defurv avisou a família da vítima e foi informado, pela mãe de Pedro, que o carro tinha seguro e que ela é quem iria até a delegacia para os procedimentos cabíveis, pois o filho estava muito abalado. Até o fechamento desta matéria, os policiais não tinham informações sobre suspeitos do crime. Conforme o delegado, a vítima deve ser ouvida para passar mais detalhes do caso. Ele não tem informações sobre atuação semelhante do mesmo grupo recentemente.

Leia Também