Quarta, 22 de Novembro de 2017

Jovem é aprovado em cinco universidades

14 FEV 2010Por 04h:55
Enquanto muitas pessoas estudam anos e anos para ser aprovadas no vestibular de uma universidade pública, isso quando não desistem durante o percurso, Douglas Valdonado dos Santos, de 19 anos, tem convivido nos últimos dias com a felicidade de ser aprovado, para o curso de Medicina, em cinco delas. Além da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), o jovem foi aprovado nas instituições federais da Grande Dourados (UFGD), de Mato Grosso (UFMT), de Minas Gerais (UFMG) e também na Universidade Estadual de Londrina (UEL), no Paraná. Douglas contou que o primeiro resultado a sair foi o da universidade de Londrina e, na ocasião, ainda frequentava as aulas do cursinho pré-vestibular. “Fizeram festa, cortaram meu cabelo”, explicando que foi muito emocionante. Ele relatou que quando da divulgação do último e mais esperado resultado, o da UFMS, ao saber que havia passado sentiu alívio em não ter mais que fazer cursinho. Desde 2008, quando Douglas terminou o ensino médio, a única opção de curso do jovem é Medicina. Ele explicou que a decisão ocorreu quando cursava a 8ª série do ensino médio. “É uma profissão que sempre será necessária. Provavelmente vou sair da faculdade com várias opções de trabalho; sempre me interessei pela área da saúde”, justificou o futuro médico. Depois de saber que havia sido aprovado nas cinco universidades públicas, Douglas revelou que optou em cursar Medicina em Campo Grande para permanecer próximo da família. “Também tenho colegas que fazem o curso e me disseram que é bom”. Segundo o estudante, a maioria dos seus amigos já sabem que ele passou em tantos vestibulares e todos lhe parabenizaram. “Alguns exageram e dizem que eu tenho que escrever um livro sobre como ser aprovado em cinco universidades”, brincou. História Douglas é o filho mais velho da funcionária pública, Adriana Vargas dos Santos, 44 anos, e do encarregado de cobrança, Gilmo Valdonado dos Santos, 49 anos. Aos 11 anos ingressou no Colégio Militar e, conforme a família, sempre se dedicou aos estudos. “Na escola, fechava as notas no 3º bimestre e eu nunca precisei pegar no pé para que ele estudasse”, contou a mãe. Ela explicou que no último ano costumava deixar o filho no Cursinho Nota 10 às 7h e buscá- los às 22h. Douglas participava da aula no período da manhã e, à tarde e à noite estudava sozinho nas dependências do cursinho. Aos sábados e domingos, dedicava-se aos estudos durante o dia e à noite procurava relaxar assistindo à televisão, indo a igreja ou navegando na internet. “Saía com meus amigos a cada dois meses”, confessou. “Ele é um exemplo de dedicação, traçou uma meta e conseguiu atingi-la. Sempre teve dedicação ao estudo e valeu a pena”, declarou o pai afirmando que o mérito da conquista é do estudante e também de Adriana, que esteve ao lado do filho. Já o caçula da família, Gabriel, de 12 anos, afirmou estar muito orgulhoso do irmão e revelou que também gosta de estudar, mas por enquanto, não no mesmo ritmo. Diferentemente de Douglas, mais ainda em dúvida, o garoto que também estuda no Colégio Militar, disse que pretende cursar Engenharia Mecatrônica ou Medicina Veterinária.

Leia Também