Quarta, 22 de Novembro de 2017

Journey 2010 chega em novas versões

18 JUN 2010Por 05h:10
Paulo Cruz, com Auto Press

Com um mercado aquecido, as importadoras de automóveis comemoram suas vendas e melhor que isso, a credibilidade conquistada junto ao consumidor brasileiro que já aposta mais em estacionar em sua garagem um carro fabricado em outro país.

Nesse panorama, a Dodge acaba de mostrar duas novas versões do Journey, seu modelo com ar de utilitário esportivo, mas francamente com apelo mais familiar. A variante SE, de entrada, promete ser a responsável por aumentar as vendas. A expectativa da montadora é grande em relação a esta versão. São esperadas vendas de 2.600 unidades da Journey em 2010, número 106% maior que os 1.265 veículos comercializados em 2009 com a STX, configuração inaugural e até então única do modelo. Juntamente com a versão que promete alavancar as vendas, a Dodge também revelou uma configuração mais sofisticada. Chamada R/T, ela vai justamente brigar no topo do segmento com foco no público mais exigente em busca de exclusividade, enquanto a STX torna-se a intermediária.

A nova versão inicial, SE, é uma aposta da Dodge para tirar uma casquinha da Chevrolet Captiva e ao mesmo tempo rivalizar com o novo Hyundai ix35, Kia Sorento, Suzuki Grand Vitara, Honda CR-V, entre outros SUVs e crossovers do mercado. Para tal, a versão tem preço competitivo e custo/benefício agressivo. O modelo custa R$ 85.900 contra iniciais R$ 87.427 de sua principal rival da Chevrolet. Além de oferecer de série equipamentos de segurança como freios com ABS, assistência de frenagem de emergência, controle de estabilidade, airbags frontais, laterais dianteiros e do tipo cortina, entre outros.
Para chegar a um preço mais competitivo, foram suprimidos os dois lugares da terceira – e rebatível – fileira de bancos nesta configuração inicial. Mesmo assim, o crossover manteve seu foco no apelo familiar com uma interessante lista de itens de conforto. E também para beliscar o segmento das minivans médias mais sofisticadas, como Citroën C4 Picasso e Kia Carens. No interior do modelo da Dodge há uma variedade de porta-objetos e porta-copos, compartimento de bebidas próximo ao porta-luvas, rádio com DVD player/MP3.

Motor
Sob o capô, todas as três variantes da Journey permanecem com o motor 2.7 V6 de 185 cv assistidas pelo câmbio automático com modo manual sequencial de seis velocidades. 

A versão mais equipada passa a ser a R/T. Com preço de R$ 107.900, disputa um mercado superior com modelos como Hyundai Santa Fe – preço público sugerido de R$ 110 mil – e Toyota Hilux SW4 – R$ 110.964. A nova variante topo de linha da Journey tenta atrair o consumidor com mais luxo. Além disso, são oferecidos sete lugares nesta configuração. Entre os equipamentos, a R/T traz as mesmas ofertas da versão SE, somando ainda sistema de áudio MyGIG de 30 Gb de memória, teto-solar, câmara de ré, computador de bordo, bancos revestidos em couro, detalhes cromados, assentos dianteiros com aquecimento, vidros elétricos com “one touch”, e, ainda um trunfo em relação à nova lei sobre transporte de crianças nos carros: o crossover mexicano tem assentos de elevação para crianças na segunda fileira.

Linhas fortes
No exterior, a Journey apresenta formas musculosas, assim como outros carros da marca. A linha de cintura é alta e as janelas se estreitam em direção à traseira, transmitindo sensação de velocidade. As diferenças estéticas entre as versões são discretas, como maçanetas cromadas, rack no teto e rodas de alumínio de 19 polegadas na versão mais luxuosa R/T. Enquanto SE e R/T tentam esquentar a briga da Journey em outras faixas de preços e exigências no crescente segmento dos utilitários, a variante já conhecida SXT continua com preço de R$ 99.900. E é com esse time completo que a Dodge torce por dias melhores no mercado brasileiro.

Leia Também