Domingo, 19 de Novembro de 2017

cotidiano

Intimidade pública

13 SET 2010Por 00h:05
OSCAR ROCHA

Sabe aquele famliar distante ou o colega de trabalho que não perde a oportunidade de mostrar as fotografias das férias ou da festa de aniversário do sobrinho? Ou, então, aquele que somente fica contente quando todos apreciam os registros pitorescos do churrasco de domingo ou a festa de fim de ano da firma onde trabalha? Na última década, essa turma ampliou o espaço para divulgação de suas cenas cotidianas. O que antes era restrito ao âmbito particular, íntimo, ganhou circulação pública. E põe pública nisso. Com a chegada, na internet, das redes sociais ou sites de exibição de vídeos, qualquer um, próximo ou não, pode se deliciar com fotografias amadoras ou imagens tremidas dos momentos caseiros. A superexposição encontra fiéis defensores – assim como detratores –  embalada por prática que somente cresce.
A dona de casa Alcione da Silva Pedroso de Lima, 37 anos, está do lado daqueles que adotaram o lema “todos podem olhar o álbum da família”: “Faço isso há 4 anos, deixo todas as fotografias disponíveis para que todos vejam, sem problema. Coloco as nossas festas, as nossas viagens, as reuniões de amigos.  Nunca tive problema em expor os momentos em família”, afirma ela, que é casada e tem filhos.
Para Alcione, o acesso amplo permite até que conhecidos, mas que não estão próximos, possam também ter contato com seu cotidiano e dos familiares. “Por meio das fotografias, as pessoas comentam coisas. É  uma forma de se aproximar daqueles que não vemos muito”.

Estilo de vida
Há quem diga que deixar as imagens particulares em acesso irrestrito é uma forma de anunciar o seu estilo e a maneira como encara a vida. É isso que pensa o veterinário Elison Borges de Oliveira, 30 anos. Censura de imagens é algo longe de seu vocabulário. Disponibiliza vários momentos para apreciação de qualquer internauta. Quem passar pelo endereço no site pessoal poderá observá-lo em festas, caminhadas, trabalhando, dançando, bebendo, entre outras situações. “Quem acessar vai saber que sou um cara divertido, bem-humorado, que curte as coisas. É uma forma de me conhecer realmente”, explica.
Mesmo Elison dizendo que a exposição ampla não lhe traz problema, conversando um pouco mais é possível notar que a divulgação de fotos na internet causou reações de pessoas próximas. “Terminei um relacionamento de 11 anos por causa das fotos. Minha ex-namorada não gostou de eu ter mostrado certas coisas”. Mesmo avesso à censura de imagens, teve que atender solicitação e retirou registro de uma cirurgia num hospital. “Entendi que não era adequado”.

Leia Também