Terça, 21 de Novembro de 2017

Informação falsa em Censo pode gerar multa a morador

2 AGO 2010Por 12h:17
Michelle rossi e Vânya santos

O morador que prestar informações falsas ou se recusar a responder o Censo, que tem início hoje em Mato Grosso do Sul, pode receber multa de até 10 salários mínimos, conforme prevê a Lei 5.534 de 14 de novembro de 1968. De acordo com a legislação, o cidadão brasileiro é obrigado a prestar informações estatísticas ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
O infrator estará sujeito à multa de até 10 salários mínimos ou o dobro do valor quando reincidente. Em caso de servidor público, a cobrança poderá ser descontada na folha de pagamento em até 10 parcelas. Além da infração, que cabe recurso, o cidadão ainda terá que responder ao Censo.
Segundo a coordenadora de comunicação do Censo 2010 no Estado, Isabel de Paula Costa, o instituto nunca aplicou essa multa em território sul-mato-grossense. “Na história do IBGE em Mato Grosso do Sul nós nunca aplicamos a multa porque queremos conquistar e convencer a pessoa a responder o Censo. Se o morador não quiser responder ao recenseador, um coordenador vai até a residência e se ainda assim a pessoa se recusar nós enviamos outros profissionais”, explicou, afirmando que a multa é o último recurso utilizado nestes casos.

Censo
Em Mato Grosso do Sul, cerca de 829 mil domicílios serão visitados a partir de hoje, sendo o do governador André Puccinelli o primeiro recenseado no Estado. A meta do Censo 2010 é recensear 58 milhões de residências brasileiras em entrevistas feitas por 191.972 recenseadores.
Os pesquisadores poderão ser identificados pelo colete azul e boné com identificação do IBGE; crachá de identificação e computador de mão para as entrevistas. As informações do crachá podem ser confirmadas por ligação gratuita para o 0800 721 8181.  
O prazo para a conclusão do Censo 2010 é de novembro, porque em dezembro o IBGE terá que encaminhar os dados da pesquisa para o Tribunal de Contas da União. Cerca de 95% dos moradores de Campo Grande responderão ao questionário básico, que contém de 30 a 40 perguntas sobre a faixa etária dos integrantes da família, grau de instrução, atuação profissional e média salarial. Os outros 5%,  responderão ao questionário por amostra, mais abrangente e tem cerca de 60 perguntas. Esse formulário contém questões sobre religião, migração e é voltado para todos os moradores da casa.

Pela internet
Moradores dos 5.565 municípios do País terão ainda a opção de prestar as informações por meio da internet. Entretanto, para isso, eles primeiramente deverão receber a visita de um recenseador, informar a ele seu telefone e dele receber um envelope lacrado, que conterá códigos de acesso para um portal e o questionário do Censo.
Haverá um prazo máximo de cinco dias para o morador responder pela internet. No caso de não haver resposta nesse período, a equipe de atendimento telefônico do IBGE entrará em contato, solicitando o envio das informações. Ao mesmo tempo, o recenseador responsável por aquele domicílio será orientado a fazer nova visita, para coletar, de forma presencial, as informações. Segundo o IBGE, o site para respostas pela internet é seguro.

Leia Também