Domingo, 19 de Novembro de 2017

Indústrias ampliaram exportações em 726%

18 FEV 2010Por 06h:51
A indústria respondeu em janeiro por 91% de tudo o que foi exportado em Mato Grosso do Sul. O volume de vendas de produtos industrializados no mês de janeiro deste ano em relação ao mesmo período de 2008 cresceu 726%, passando de 54,4 mil toneladas para 449 mil toneladas, ou seja, quantidade oito vezes maior que a obtida sobre igual mês do ano anterior, conforme levantamento do Radar Industrial da Fiems. Já em relação ao mês de dezembro de 2009, quando o volume foi de 200,9 mil toneladas, a evolução foi da ordem de 123,5%. Quanto à receita, as vendas externas de industrializados no mês de janeiro alcançaram US$ 82,8 milhões, o que representa um crescimento nominal de 57% sobre igual período de 2009, quando as exportações somaram US$ 52,8 milhões. Na avaliação do Radar da Fiems, em toda a série histórica esse foi o melhor resultado obtido com as exportações de industrializados para um mês de janeiro. Para o presidente da Fiems, Sérgio Longen, esse expressivo aumento sinaliza uma recuperação extraordinária das exportações de produtos industrializados em Mato Grosso do Sul. “As vendas externas de industrializados atingiram a marca de 91% de tudo o que foi exportado por Mato Grosso do Sul, enquanto em janeiro do ano passado o setor representava 62% do total exportado pelo Estado. Na prática, no mês passado o setor industrial elevou em 29 pontos percentuais a sua participação nas exportações sulmato- grossenses, reforçando sua importância na economia estadual”, analisou. Desempenho geral dos grupos no ano No mês de janeiro, 11 dos 13 principais grupos de produtos industrializados exportados por Mato Grosso do Sul apresentaram crescimento em suas receitas, quando comparados com correspondente período do ano anterior, com exceção dos grupos “Compensados de madeira, móveis de madeira e madeiras trabalhadas” e “Óleos vegetais bruto e refinado”. No caso do grupo “Carnes e Miudezas/Cortes, Peças e Carcaças – Complexo Frigorífico” o resultado foi alcançado, principalmente, pela elevação ocorrida nas vendas de carnes desossadas e congeladas de bovinos que aumentaram 35%, gerando receita adicional da ordem de US$ 6,1 milhões. Já o grupo extrativo mineral – minerais metálicos alcançou o equivalente a US$ 15,1 milhões, refletindo, em maior medida, o reinício das exportações de minérios de ferro em bruto, o que gerou volume 41 vezes maior que o obtido em igual mês de 2009, enquanto a receita, na mesma comparação, foi superior em 70 vezes. De outro modo, o grupo “Açúcar e álcool” iniciou 2010 com desempenho semelhante ao ocorrido ao longo de todo o ano anterior, ou seja, com fortes elevações nas vendas externas dos produtos que compõem o grupo, notadamente no caso de açúcar de cana em bruto que apresentou crescimento em receita e volume da ordem de 73% e 4%, respectivamente, quando comparados com janeiro de 2009. No grupo “Papel e celulose, embalagens de papel ou papelão e demais artefatos de papel” o destaque, naturalmente, continua por conta da celulose, que foi incorporada à pauta de industrializados no fim do primeiro trimestre de 2009 e que registrou, em janeiro de 2010, receita de exportação equivalente a US$ 3,9 milhões, ou 86,8% da receita total do grupo. Adicionalmente, a partir do fim do ano anterior, as vendas de papel fibra começaram a ganhar destaque, alcançando neste mês o equivalente a US$ 427,3 mil ou 9,5% de toda a receita do grupo.

Leia Também