Segunda, 20 de Novembro de 2017

Indústria cerâmica deverá crescer 20%

25 JAN 2010Por 07h:26
A indústria cerâmica de Mato Grosso do Sul deve acompanhar a expansão da construção civil e tem projeção de crescimento de até 20% neste ano. A estimativa é da presidente do Sindicer/MS (Sindicato das Indústrias Cerâmicas do Estado), Cláudia Volpini. “Passando este primeiro trimestre do ano, que é um período de chuvas, devemos ter um ano positivo com significativo crescimento na demanda. Nossa expectativa é voltar a registrar os mesmos padrões de 2008, um ano que foi muito positivo para nós”, explicou. De acordo com Cláudia Volpini, hoje as 103 indústrias cerâmicas espalhadas pelas diversas regiões do Estado e que empregam cerca de 1,6 mil funcionários trabalham com folga para abastecer o mercado interno e até comercializar algumas peças para exportação, mas, com as projeções positivas que estão se firmando para o setor da construção civil, a expectativa é poder atingir a capacidade máxima instalada de produção. “Com o aquecimento do mercado, nossa expectativa é que a demanda cresça no mínimo 20% e, com isso, esperamos trabalhar utilizando toda a nossa capacidade de produção”, ressaltou. A presidente do Sindicer/ MS acrescenta que geralmente ano político acaba sendo bem intenso para o setor por causa do volume de recursos circulando. “O ano de 2010 deve se firmar com um ano bem interessante para o setor cerâmico”, pontuou, ressaltando que o ano também será de importantes definições para a indústria cerâmica no Estado com as empresas trabalhando para ingressar no PSQ (Programa Setorial de Qualidade), que exige das indústrias do setor o enquadramento de seus processos e produtos nas normas técnicas existentes para telhas e blocos. “Quando a empresa coloca no mercado um produto que atenda a normas de qualidade e segurança, automaticamente demonstra foco no cliente e tende a ganhar mercado com isso. Este é um diferencial de mercado hoje, mas em breve, será primordial para sustentabilidade da empresa”, destacou Cláudia Volpini, explicando que o PSQ foi criado pelo Ministério das Cidades por meio do Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade no Habitat. “Pelo menos 16 empresas do Estado estão participando do projeto de inserção ao PSQ e o Sindicer/MS está trabalhando para que nossas empresas façam parte desse programa. Nossa expectativa é que todo o processo esteja concluído até o mês de março”, finalizou.

Leia Também