Quarta, 22 de Novembro de 2017

Incêndio em lixão na Área do Papa gera transtorno

14 ABR 2010Por 23h:32
Bruno Grubertt

No dia em que a umidade relativa do ar caiu para 30%, os moradores da região próxima à Área do Papa, Vila Sobrinho, voltaram a sofrer transtornos com o fogo ateado na vegetação e no lixo acumulado. “Sempre colocam fogo aí e com esse tempo seco é perigoso. Eu sou alérgica (à fumaça) e fico preocupada”, reclamou a dona de casa Maria Aparecida de Moraes, moradora da Rua Aeroclube.

Segundo Maria, as  queimadas são comuns no local, onde há grandes montes de lixo. A cerca de 100 metros do local do incêndio, uma via não pavimentada e ainda sem nome, paralela à Rua Aeroclube, na altura entre as Ruas Carmela Dutra e Zakia Nahas Siufi, transformou-se em depósito de lixo e entulho. “Não adianta, a prefeitura vem e limpa, mas sempre jogam lixo ali”, disse a dona de casa.

Em menos de meia hora em que a reportagem esteve na rua de terra com extensão de aproximadamente 800 metros, pelo menos dois carroceiros foram flagrados jogando lixo no local. Para passar pela via, carros e motos precisam desviar-se de pneus, peças de carros, vasos de plantas, resíduos de construção civil e podas de árvore, que formam um canteiro de lixo.

“Faz 15 dias que foi limpo, e já está assim. Esse lixo cria escorpiões e outros bichos que vão parar lá no condomínio”, conta o militar da reserva, José Alberto Gil Alvarenga, de 50 anos, morador de um condomínio que fica próximo ao local do incêndio.

Outra preocupação é com os focos de proliferação do mosquito da dengue que se formam no lixo. Além de recipientes diversos, pelo menos oito pneus foram vistos no local.

Umidade
A umidade relativa do ar como a de ontem, em 30%, é classificada como estado de atenção. Já  estado de alerta é quando a umidade relativa está entre 13% e 20%.

Leia Também