Quarta, 22 de Novembro de 2017

Homem encontrado morto em galpão abandonado

4 AGO 2010Por 08h:34
karine cortez e
Antonio Viegas, Dourados

Edson Ciro Ceza, 37 anos, foi encontrado morto na manhã de ontem, depois que populares acionaram o Centro Integrado de Operações e Segurança (Ciops) ao avistarem o corpo dele caído em um galpão abandonado, na região central de Campo Grande. O rapaz foi encontrado numa área onde funcionou a oficina da antiga estação ferroviária e apresentava diversos ferimentos na cabeça.
Informações repassadas pela perícia da Polícia Civil indicam que Edson Ciro estava com cinco cortes profundos na cabeça, ferimentos esses provocados, possivelmente, por algum objeto cortante que não foi achado no local. Ele trajava camiseta de cor cinza, calça na cor azul e tênis nas cores azul e vermelha.
O caso está sendo tratado como homicídio doloso – quando há intenção de matar – e será investigado pela 1ª Delegacia de Polícia, na região central de Campo Grande. Edson Ciro não tinha passagens pela polícia.

Dourados
Enquanto isso, em Dourados, mesmo com características de acidental, a polícia  investiga um estranho caso de morte registrado ontem, por volta de meio-dia, em uma residência no Jardim Clímax. Um homem ainda não identificado foi encontrado entalado na porta da casa, em um espaço onde deveria haver um vidro. Peritos que estiveram no local acreditam que essa pessoa tenha morrido por volta de 6h da manhã.
O caso foi denunciado por um vizinho que percebeu o homem ajoelhado junto à porta e não fazia nenhum movimento. Quando os policiais chegaram, constataram que estava morto.  Ele teria quebrado um dos vidros, colocou a cabeça pelo vão e não conseguiu tirar. Ele apresentava ferimentos no pescoço, o que teria provocado sua morte.
Vizinhos informaram apenas que o homem estaria morando na residência, junto com um amigo, há pelo menos 30 dias. Os policiais tentaram localizar esse outro morador da casa, mas ele estaria fazendo um curso fora da cidade. No pescoço da vítima havia um cordão com uma chave, constatado depois que se tratava da chave que abria a porta onde ela morreu.
Os peritos acreditam que o homem, que aparenta entre 40 e 50 anos de idade, estava embriagado e se esqueceu que tinha a chave do imóvel. O corpo foi levado para o Instituto de Medicina e Odontologia Legal (Imol).

Leia Também