Sexta, 24 de Novembro de 2017

NISSAN

GTR vai de 0 a 100 km/h em 3,5 segundos

22 JAN 2010Por CARLO VALENTE E IVANA CENCI - INFOMOTORI.COM/ITÁLIA, AUTO PRESS07h:03
Há carros e carros. Existem aqueles com o qual uma pessoa se move do ponto A ao B, leva as crianças à escola, carrega compras no porta-malas ou transporta a família inteira em viagens no verão. Mas há os que conferem emoções. Modelos com motores fortes, capazes de levá-los a bater recordes nas pistas de corrida. Está claro que entre eles está o Nissan GTR, como já é possível perceber por suas linhas esportivas e seus detalhes técnicos. O motor é um 3.8 V6 desde a sua última versão. Porém, agora oferece 5 cv a mais de potência graças ao novo processo de montagem da unidade de força, que é mais eficiente e feito à mão. Leva o bólido a 485 cv a 6.400 rpm e torque máximo de 59,95 kgfm entre 3.200 e 5.200 rotações. Para melhorar, o motor conta, ainda, com um sistema otimizado com dupla embreagem. No GTR, há mudanças na parte de refrigeração, que foi melhorada e que, além de tornar mais eficaz o consumo de energia do veículo, também tirou 3 kg de peso do motor. Apesar de ser desenvolvido para a prática esportiva, o modelo da Nissan está dentro das normas Euro 5 de emissões de poluentes. Um sistema de bomba pneumática favorece a reação do catalisador, que realiza a filtragem dos gases de escape e não compromete o desempenho. A perfeita exploração da estrada é garantida pelas suspensões e por seus modos de calibragem: “Corrida”, ultrarrígido, ideal para pistas; “Esportivo”, com a suspensão em seu estado normal; e “Comfort”, com a suspensão mais macia. A aderência é garantida pelo sistema VDC – Vehicle Dynamic Control –, um controle eletrônico de estabilidade e de tração que faz uma leitura do comportamento do carro e realiza alterações eletrônicas na suspensão para evitar que o GTR derrape. Os freios também são de alto desempenho, com grande eficácia e alto nível técnico graças aos conjuntos com seis pistões na frente e quatro na traseira em cada disco. Depois desse apanhado de inovações, percebe-se o mais bonito: a estética interna e externa da “máquina”. À primeira vista é um clássico japonês de linhas afiadas, enriquecido por traços esportivos e saias que lembram a boca de um tubarão – que o deixa mais esportivo, mas que também auxilia na refrigeração do motor. Juntamente com spoilers traseiros, todo o conjunto deixa o carro mais “no chão”. No interior, percebe-se o alto nível de acabamento e detalhes dignos de um carro que custa a partir de 84.200 euros – cerca de R$ 215 mil. Ainda há um sistema de áudio com 9,3 GB de disco rígido e com conexão para iPod, entre outros. Criteriosamente espalhados pelo carro, 11 altofalantes levam o som para o interior do veículo sem qualquer distorçãso. Ao centro do painel, um sistema desenvolvido pela Polyphony – empresa criadora do game Gran Turismo GT – torna a experiência de condução ainda mais esportiva. Nele são exibidas informações como temperatura do motor, temperatura do óleo, posição do acelerador, forças longitudinais e transversais. Ou seja, um conjunto de dados que leva o motorista a pensar que está em um verdadeiro carro de corrida; ou em um foguete espacial.

Leia Também