Sábado, 18 de Novembro de 2017

Grupo de Risco promove a saúde por meio de peças

6 ABR 2010Por 20h:39

OSCAR ROCHA

 

A partir de amanhã, o Teatral Grupo de Risco mostra uma de suas faces cênicas pelo Estado. Conhecida por montagens que destacam a pesquisa da história de Mato Grosso do Sul, o universo infanto-juvenil e até clássicos do teatro brasileiro, há oito anos a formação ostenta também no repertório representações que destacam questões relacionadas à saúde. São estes espetáculos que farão parte da "Caravana da prevenção", patrocinada pela Secretaria de Saúde do Estado, que percorrerá oito cidades. A estreia será amanhã, às 12h, na Prefeitura do Parque, em frente à Polícia Militar, no Parque dos Poderes.

"Atualmente, temos quatro peças sobre saúde no repertório, cada uma destinada a público específico. Para integrar a caravana, participamos de edital. A primeira apresentação acontecerá na Capital e, depois, seguimos para Três Lagoas e Água Clara, encerrando em agosto", explica a diretora de duas peças, Lú Bigatão.

O Teatral Grupo de Risco é caracterizado pela ação de vários núcleos de diretores e atores, que levam o nome da companhia. "No caso destes espetáculos sobre saúde, alguns integrantes atuam em determinada peça e o restante em outras; no geral, todos estão envolvidos", destaca Lu. A intenção principal dos trabalhos é alertar sobre o contágio das doenças sexualmente transmissíveis (DST/aids).

Deverão ser beneficiadas cerca de três mil pessoas. As peças falam da importância do uso do preservativo na prevenção, os sintomas das doenças, como evitar as DST, o tratamento, sempre de forma alegre e descontraída. O grupo é referência na montagem de espetáculos educativos, atua na prevenção das doenças sexualmente transmissíveis desde 2004 e já realizou apresentações no Chile, Paraguai e Argentina, em diversos estados brasileiros e inúmeras cidades de MS.

Os espetáculos vão percorrer, ainda, Dourados, Ponta Porã, Bandeirantes, São Gabriel do Oeste, Aquidauana e Miranda. As peças são: "Mulheres em cena", com direção de Lú Bigatão, destinada ao público adulto e "O segredo de João Cuiudo", direcionada ao público rural, que fala sobre a importância do uso da camisinha na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis. Esta última foi apresentada no Chile, João Pessoa, em assentamentos de MS e conta com a direção de Roma Roman e Arce Corrêa.

A outra intitula-se "E com você como é que é", que incentiva a participação da plateia e é montada segundo as técnicas do Teatro do Oprimido, de Augusto Boal. São três histórias com direção de Roma Roman.

"Entre quatro paredes" é uma peça de bonecos proibida para menores. Ela é direcionada às profissionais do sexo e conta a história de Susy, uma prostituta que luta para fundar uma associação. O trabalho será apresentado em boates e uisquerias. Tem a direção de Lú Bigatão.

"Tratamos cada um dos espetáculos como nossos outros projetos mais artísticos. Tomamos cuidado com a luz, figurino, música e o roteiro. Não é como se fosse uma encenação de escola. Percorremos vários lugares com essas montagens, inclusive ganhamos prêmios em festivais. Por isso fazemos tanto sucesso com esses espetáculos. Quando a gente pensa em parar, sempre aparece outro convite para apresentação".

Leia Também