Quarta, 22 de Novembro de 2017

Greve teve 70% de adesão e ponto será cortado

19 MAR 2010Por 06h:09
No primeiro dia de greve, somente 30% dos servidores do Hospital Regional Rosa Pedrossian (HRMS) mantiveram- se no trabalho, conforme previsto anteontem pelos sindicalistas e, ontem à tarde, trabalhadores do Centro de Hematologia de Mato Grosso do Su l (Hemosu l) também resolveram aderir à greve. No primeiro dia, a paralisação do HRMS não prejudicou as cirurgias eletivas, porém, hoje as intervenções cirúrgicas estão suspensas, conforme anunciou o diretor presidente do hospital, Ronaldo Perches Queiroz. A greve no Hemosul deve prejudicar o atendimento em todos os setores, já que apenas 30% dos 130 funcionários continuam trabalhando, conforme determina a lei. Segundo o presidente do Sintss (Sindicato dos Trabalhadores em Seguridade Social), Júlio César das Neves, a decisão foi tomada ontem, durante assembleia geral dos funcionários, que também não concordaram com o reajuste oferecido pelo governo. Hoje, servidores da Secretaria de Estado de Saúde e do Laboratório Central reúnem-se para decidir se participam da greve. Corte de ponto No final da tarde de ontem, o governo do Estado divulgou que vai cortar o ponto de todos os ser vidores que participarem da greve. Em nota, o governo afirmou que “tem concedido reajustes acima da inflação, e, por isso, não aceita a politização dos movimentos”. O governo defendeu ainda que “está dialogando com todos os segmentos de servidores e espera pelo retorno de todos ao trabalho”.

Leia Também