Greve termina e bancos voltam a funcionar

BRUNO GRUBERTT 14/10/2010 12h06

O atendimento nas agências bancárias, que estava parado por conta da greve dos funcionários volta ao normal hoje, 16 dias depois do início da paralisação que deixou clientes de 57 agências bancárias da Capital e 44 no interior sem atendimento até ontem. Depois de rodadas de negociações entre o comando nacional da greve, a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban), Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil, os grevistas aceitaram a proposta de reajuste.

Os bancos ofereceram 7,5% para aqueles funcionários que recebem até R$ 5.250 por mês e 4,29% para quem tem salário superior a esse valor. A reivindicação inicial da categoria era por reajuste de 11%. Antes da greve, o índice oferecido pelas empresas foi de 4,29%, o que motivou a paralisação.

Ainda ficaram acordados aumentos nos pisos salariais que passam a ser de R$ 870 para os cargos de porteiro e R$ 1.250 para servidores do escritório e dos caixas.

Além do reajuste salarial, os bancários ainda reivindicavam maior participação nos lucros e resultados; 13ª cesta-alimentação; auxílio-creche e previdência complementar para todos os bancários.

Eles também queriam que os bancos contratassem mais funcionários e implantassem políticas de amparo à saúde dos trabalhadores. Parte desses pedidos, como aumento nos valores do auxílio para educação, foi atendida.


Compartilhe