Quarta, 22 de Novembro de 2017

Greve afeta navegação na hidrovia

1 MAI 2010Por 05h:57
Sílvio Andrade, Corumbá

Uma das maiores empresas de navegação na Hidrovia Paraguai-Paraná, a Cinco & Bacia, de Ladário, deixou de operar ontem por conta da greve dos trabalhadores, que reivindicam benefícios sociais suspensos e pagamento de férias, horas extras e do fundo de garantia. A maioria dos 180 empregados, entre aquaviários e pessoal do estaleiro e administrativo, cruzou os braços por tempo indeterminado.

A Cinco (Companhia Interamericana de Navegação e Comércio) passa por período de transição e, segundo o Sindicato dos Aquaviários de Corumbá e Ladário, não vem cumprindo acordos trabalhistas e atrasa os salários desde o ano passado. A empresa pertence ao grupo argentino Fluviomar, desde 2008, e foi negociada com a Fluvioalba, grupo venezuelano ligado ao presidente Hugo Chávez.

Na semana passada, os operários iniciaram movimento de advertência exigindo o pagamento do salário de março, depositado somente no dia 22. A empresa suspendeu o tíquete alimentação, de R$ 135, há quase um ano, e agora cortou o plano de saúde. Alguns trabalhadores têm quatro férias vencidas e o sindicato denunciou ao Ministério do Trabalho que o revezamento de folgas não é cumprido.

Ontem, a greve por tempo indeterminado foi deflagrada às 9h30min, em frente ao portão da Cinco, que fica situada no limite de Ladário com Corumbá. Os funcionários permaneceram no local, sem nenhuma manifestação, aguardando orientação pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Transportes Aquaviários e Afins e pela confederação que congrega os trabalhadores em transporte aquaviário e aéreo.

Poder de decisão
A empresa convocou os trabalhadores para uma reunião, mas apenas 20 compareceram. O presidente do Sindicato dos Aquaviários de Corumbá e Ladário, Clarindo Silva Costa, disse que os atuais diretores não têm nenhum poder de decisão, por isso a reunião não vingou.

Leia Também