Terça, 21 de Novembro de 2017

Governo diz que número de mortos chega hoje a 150 mil

24 JAN 2010Por 07h:17
O Governo haitiano disse acreditar que será confirmado o número de 150 mil mortos pelo terremoto antes da noite de hoje, disse ontem a ministra de Comunicação, Marie Laurence Lassegue. A ministra confirmou os números divulgados pelo Ministério do Interior que, até sexta-feira, tinham sido encontrados 111.499 cadáveres, mas disse que, “infelizmente, achamos que até no domingo vão aparecer 150 mil cadáveres”. Quanto aos planos para abrigar os 610 mil deslocados – na maior parte em Porto Príncipe –, a ministra se limitou a falar que serão construídos dois grandes acampamentos para eles, mas não quis identificar o lugar. Retomada Após mais de uma semana de buscas por sobreviventes nos escombros deixados por um terremoto que devastou o país, o Haiti ainda chorava ontem seus mortos em meio a sinais de que o cotidiano começava a voltar ao devastado país caribenho. Em meio ao luto, há sinais de que o país caribenho, o mais pobre das Américas, começa a voltar à vida. Os bancos reabriram ontem e as agências de transferência de dinheiro voltaram a operar. Embora a ajuda vinda de várias partes do mundo estivesse chegando à devastada cidade em uma enorme operação de ajuda pelos Estados Unidos, os sobreviventes do terremoto ainda acampavam nas ruas e reclamavam que não recebiam comida. “Estamos com fome, estamos com sede, não podemos mais aguentar. Queremos comida, queremos água. Abaixo Préval. Vida longa a Obama”, gritava um grupo de manifestantes do lado de fora de um posto de polícia onde o governo do presidente haitiano Renée Préval está funcionando. Préval, cujo palácio e residência presidenciais foram destruídos pelo terremoto que pode ter matado até 200 mil pessoas, disse que seu governo e parceiros internacionais estão fazendo todo o possível para levar assistência aos sobreviventes.

Leia Também