Terça, 21 de Novembro de 2017

Governo define ações contra desvalorização

16 SET 2010Por 13h:04

Jacqueline Farid e Alessandra Saraiva (AE)

As medidas com as quais o Governo pretende evitar uma excessiva valorização do real vão incluir a compra de dólares que entrarem no País com a operação de capitalização da Petrobras, segundo adiantou ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele disse estar preocupado com iniciativas que outros países, como o Japão, estão tomando para desvalorizar suas moedas.
“Queremos que todos saiam da crise, mas não às nossas custas”, disse o ministro. Como exemplos de medidas para evitar uma volatilidade maior na cotação do dólar no Brasil, ele citou as compras já realizadas com frequência pelo Banco Central e “instrumentos prudenciais, como limitação a risco cambial”.
Segundo o BC, as reservas internacionais aumentaram US$ 1,887 bilhão ontem. Com a elevação, o montante passou de US$ 263,252 bilhões para US$ 265,139 bilhões no conceito de liquidez internacional. Esse é o maior aumento das reservas num único dia desde 8 de outubro de 2009, quando o montante havia crescido US$ 5,021 bilhões em apenas um dia. O aumento observado nesta quarta-feira é resultado da compra de dólares realizada pela autoridade monetária na última sexta-feira.
No que diz respeito à capitalização da Petrobras, marcada para 30 de setembro e que pode chegar a R$ 150 bilhões, o ministro mandou um recado claro ao mercado financeiro. “Vamos enxugar qualquer excesso de dólar que possa entrar com a operação da Petrobras. Vamos comprar tudo, já estou avisando”, disse em entrevista na sede da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), depois de abordar o tema cambial em palestra.
Apesar da enfática promessa de evitar que a cotação do dólar caia mais no País, o ministro garantiu que o governo não trabalha com um piso para a moeda. “Não há piso, o que se evita é a volatilidade. Mantemos o câmbio flutuante, apesar de outros países não fazerem o mesmo”.

Leia Também