Quarta, 22 de Novembro de 2017

Governador diz que não ofereceu dinheiro ao PTB

7 ABR 2010Por 23h:22
Maria Matheus

O governador André Puccinelli (PMDB) disse ontem que não ofereceu dinheiro para conseguir o apoio do PTB na eleição de outubro. “Não falei ‘milão, milão, milão’. O que falei está escrito e gravado”, assegurou, demonstrando irritação, durante a inauguração do prédio da Escola Superior de Controle Externo do Tribunal de Contas do Estado. “Não ofereci (dinheiro). Ofereci estrutura”, completou.

Na semana passada, o governador se reuniu com a direção do PTB na sede do partido para negociar aliança eleitoral. Antes mesmo do encontro, o presidente do PTB, Ivan Louzada, disse em entrevista que, para fechar aliança, o partido quer dinheiro para patrocinar os candidatos a deputado federal e estadual. Na reunião, o governador foi questionado como daria ajuda financeira aos candidatos. André respondeu que seria em três parcelas: “Milão, milão e milão”.

Segundo o governador, ele ofereceu ao PTB coligação para eleger deputado federal e estadual. “O partido precisa eleger deputado federal para superar a cláusula de barreira”, explicou o governador, referindo-se à regra segundo a qual, para ter direito ao Fundo Partidário e a tempo de propaganda gratuita, os partidos teriam de alcançar no mínimo 5% do total de votos para a Câmara dos Deputados, distribuídos em pelo menos nove estados. O dispositivo não chegou a ser aplicado, porque, em 2006, quando entrou em vigor, o Supremo Tribunal Federal o considerou inconstitucional.

Puccinelli considerou insignificante a proposta do PT ao PTB, de dar a vaga de candidato a vice-governador na chapa majoritária e duas secretarias em um eventual governo. “De que adianta (José Orcírio dos Santos) oferecer vice e duas secretarias, se ele não vai se eleger? Não adianta nada”, concluiu.

Leia Também