Sexta, 17 de Novembro de 2017

Goleiro do Flamengo suspeito de homicídio

28 JUN 2010Por 06h:49
Belo Horizonte

Uma viatura do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais foi chamada ontem pela Polícia Militar para ajudar nas buscas da estudante Eliza Silva Samudio, 25 anos, que teria tido um filho com o goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes das Dores de Souza. O reforço foi solicitado após a PM receber uma denúncia pelo telefone 190 segundo a qual haveria um corpo nas proximidades do condomínio Turmalina, onde fica o sítio do goleiro, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte.

As buscas por Eliza devem se concentrar inicialmente do lado de fora do condomínio. De acordo com a PM, a denúncia teria indicado que o corpo da estudante foi jogado do lado externo da propriedade.
Por volta das 14h30, os bombeiros e a Polícia Militar aguardavam um funcionário do condomínio para dar início às buscas. O trabalho deve ser inicialmente superficial, mas o canil do Corpo de Bombeiros está de prontidão, caso seja necessária a utilização de cães farejadores.
O caso

O goleiro do Flamengo, Bruno, será intimado para prestar depoimento no início desta semana na Delegacia de Homicídios de Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. Ele nega as acusações.
No ano passado, a paranaense Eliza Samudio procurou a polícia para dizer que estava grávida de Bruno e que o goleiro a teria agredido para que ela tomasse remédios abortivos para interromper a gravidez. O processo de reconhecimento de paternidade corre na Justiça do Rio. O menino foi registrado apenas com o nome da mãe, sem pai declarado.

“A gente já entrou em contato com o advogado da Dayane (Rodrigues do Carmo Souza, atual mulher do goleiro) e do Bruno, e ele nos passou que o goleiro está a nossa disposição. Provavelmente na semana que vem, ele virá ao Estado de Minas Gerais para prestar declarações nesta delegacia e explicar como esta criança apareceu neste sítio e o porquê ele teria apresentado esta criança como Ryan se o menino foi registrado como Bruno”, disse.
Eliza está desaparecida desde o dia 4 de junho, quando teria saído do Rio de Janeiro para Minas Gerais a convite de Bruno. A delegada Alessandra disse que contatou as amigas de Eliza no Rio, que confirmaram a viagem. Na última quinta-feira, a polícia recebeu denúncias anônimas dizendo que Eliza teria sido espancada por Bruno e dois amigos dele até a morte no sítio de propriedade do jogador, no condomínio Turmalina, em Nova Contagem. Ainda de acordo com as informações recebidas pela polícia sob sigilo, o goleiro teria queimado roupas e pertences de Eliza após o crime.

Segundo a apuração da delegada, Bruno esteve no sítio entre os dias 6 e 10 de junho. Na noite da última sexta-feira, a polícia foi ao local e recebeu a informação de que o bebê apontado como filho do atleta, de 4 meses, estaria lá. A atual mulher do goleiro negou a presença da criança na propriedade. No entanto, durante o depoimento dos funcionários do sítio, um dos amigos de Bruno afirmou que, por volta de 19h de sexta-feira, Dayane havia entregado o menino na casa de uma adolescente no bairro Liberdade, em Ribeirão das Neves, onde foi encontrado.

“Esta criança passou por várias casas até chegar a esta residência onde a encontramos. Ela passa bem e está sob a guarda da Justiça em um abrigo”, afirmou a delegada. O pai de Eliza, José Samudio, chegou a Contagem neste domingo, para buscar o neto e acompanhar as investigações sobre o sumiço da filha.
Por ter mentido à polícia, Dayane Souza foi presa. Contudo, após conseguir um alvará, foi colocada em liberdade na manhã de sábado. Ela também será novamente convocada a depor.
Por meio de sua assessoria, Bruno disse não saber do paradeiro de Eliza, nem do filho. “Não tenho contato com essa mulher há mais de dois meses. Nunca a levei para Minas. Nas férias fui para minha fazenda com a Dayane, minha esposa, e minhas filhas. A Dayane continua lá, e eu voltei para treinar”, afirmou o goleiro.

Outras polêmicas
O goleiro Bruno já esteve nos noticiários policiais outras vezes. Quando jogava pelo Atlético-MG, em 2006, ele foi detido em Ribeirão das Neves, cidade onde morava, por ter participado de um racha de carros durante a madrugada.
Já no Flamengo, em 2008, Bruno e outras atletas da equipe carioca se envolveram em uma briga com garotas de programa durante uma festa no sítio do atleta logo após uma partida entre o rubro-negro e o Atlético-MG.

Bruno também deu uma polêmica declaração em uma entrevista coletiva quando tentou defender o jogador Adriano, seu colega de Flamengo, de uma suposta acusação de agressão à noiva. “Qual de vocês que é casado que nunca brigou com a mulher? Que não discutiu, que  até não saiu na mão com a mulher, né cara? Não tem jeito. Em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher, xará”, disse o goleiro no início de março.

Leia Também