Sexta, 17 de Novembro de 2017

Glaucoma leva à cegueira sem dar sinais

26 MAI 2010Por 20h:07

SCHEILA CANTO

 

O cinema de Hollywood estampou com clareza nas telas o sofrimento que o glaucoma causou ao cantor Ray Charles. O filme Ray mostra como a doença, aos poucos, vai apagando a visão do garoto negro e pobre. À mãe, sem informação alguma sobre o mal que acometia o filho e sem condições de buscar tratamento médico, restou apenas uma alternativa: prepará-lo para o pior, já que ele teria de crescer sem enxergar e encarar o mundo sem poder ver.

A imagem cinematográfica reflete a realidade mundial neste caso. No Brasil estima-se que 1 milhão de pessoas sejam portadoras do glaucoma. "Deste número podemos estimar que metade não sabe que tem a doença. O problema agrava-se ainda mais ao sabermos que em cinco anos 30 a 40% dos glaucomatosos não tratados apresentarão cegueira em pelo menos um olho. Isso significa dizer que aproximadamente 200 mil pessoas ficarão cegas por glaucoma e nem sequer sabiam da doença, que geralmente não tem sintomas", lamenta o oftalmologista José Eduardo Prata Cançado, presidente da Sociedade Brasileira de Oftalmologia, regional Mato Grosso do Sul.

Hoje, no dia em que se comemora o Dia Nacional de Combate ao Glaucoma, o médico alerta para o impacto social da doença. Segundo José Eduardo, faz-se necessário que o público em geral saiba o que é a doença e, principalmente, tenha acesso ao exame oftalmológico pelo menos uma vez ao ano. "A Sociedade Brasileira de Oftalmologia promove anualmente campanhas específicas de combate e prevenção ao glaucoma. Neste ano, nossa ação foi realizada no dia 8 de março, com equipe de médicos especialistas voluntários que atenderam aproximadamente 3 mil pessoas gratuitamente. Cerca de 300 foram encaminhadas para atendimento específico, por estarem com pressão intraocular alterada. Ainda assim, acreditamos que são necessárias mais ações. Além disso, é fundamental que as pessoas não procurem o oftalmologista somente para exame de grau. A partir dos 40 anos, é indispensável o acompanhamento anual", destaca o doutor José Eduardo.

Segundo a OMS – Organização Mundial de Saúde – 80% da cegueira do mundo é curável ou evitável. O glaucoma faz parte deste grupo de doenças oculares que, gradualmente, "roubam" a visão sem aviso prévio e, não raro, sem sintomas.

 

Como é a doença

A perda da visão é causada por um dano no nervo óptico, cuja principal causa é a pressão intraocular alta. Trata-se de uma doença séria e progressiva. A perda da visão começa pelas laterais e é tão lenta que, geralmente, o paciente não sente nenhuma alteração.

Entre os fatores de risco que favorecem o aparecimento da doença estão: idade avançada, hipertensão arterial, miopia elevada, raça negra e histórico da doença na família.

O glaucoma não tem cura e quando chega à cegueira, esta também é irreversível. Mas o oftlamologista ressalta que o diagnóstico precoce amplia as chances de controle da doença e evita a cegueira. "O tratamento inclui o uso frequente de colírios e a cirurgia, em alguns casos", acrescenta o doutor José Eduardo.

Leia Também