Sexta, 17 de Novembro de 2017

Gasolina de MS tem índice de adulteração maior que média do País

20 JUL 2010Por 07h:25
VERA HALFEN

Dados publicados pela ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) apontam que os índices de adulteração de combustíveis, entre as amostras coletadas em Mato Grosso do Sul, em junho, registram 2,8% para a gasolina comum – índice acima da média nacional, de 1,5%. O óleo diesel indicou 1% de não conformidade e o etanol não apontou irregularidades, abaixo da média geral. A coleta, feita pelo Laboratório de Combustíveis da UFMS e enviada para a ANP, totaliza 106 amostras de gasolina, sendo que três apresentaram adulteração; outras 97 de diesel, sendo que uma delas registrou não conformidade. Já das 53 amostras de etanol coletadas, nenhuma apresentou irregularidade.

De acordo com a ANP, os estados com maior índice de adulteração da gasolina, acima da média brasileira, são o Pará (5,8%) e Goiás (3,7%); Alagoas, Mato Grosso do Sul, Paraíba e Rio de Janeiro, o índice chega a 2,8%. O Distrito Federal está em 2,6%; Mato Grosso (2,3%) e Paraná (2,0%). Os estados de Pernambuco e Piauí registram 1,7% e Roraima, 1,6%. Esses 13 estados apresentaram índices de não conformidade para gasolina acima da média observada para o Brasil (1,5%).

Em relação a irregularidades no óleo diesel, Amazonas (17,3%); Rio de Janeiro (11,4%); Tocantins (5,7%); Alagoas (4,4%); Goiás (4,3%) e Pará (3,8%) ficaram acima da média brasileira de adulteração, que é de 3,5%. Em relação ao etanol, 16 estados registram percentuais de adulteração acima da média do País, que registra 1,5%. Os cinco maiores índices, estão nos estados de Alagoas (4,9%); Piauí (4,3%); Rio Grande do Norte (4,2%); Maranhão (3,9%) e Pernambuco (3,7%). Mato Grosso do Sul apresenta 1% de irregularidade nesse combustível.

Relatório da ANP aponta, também, que o índice médio de irregularidades em todo território brasileiro, em junho, para a gasolina é de 1,5% e aumento em relação ao mês de maio de 2010 (1,2%). Por sua vez, os índices de não conformidades do óleo diesel (3,5%) e etanol (1,5%) apresentaram queda em relação ao mês de maio de 2010 (3,7%) e (2,0%), respectivamente. Ao todo, foram analisadas 18.105 amostras de combustíveis em junho de 2010 e encontradas não conformidades em 409 amostras (2,3%).

Avaliação
A principal não conformidade observada na gasolina neste mês de junho, de acordo com a ANP, foi relativa ao teor de etanol, correspondendo a 54,1%, enquanto no etanol foi a massa específica/teor alcoólico, chegando a 61,0% das amostras verificadas. Já para o caso do óleo diesel, a principal não conformidade foi em relação ao aspecto, com 40,8% das não conformidades observadas para esse combustível.

Leia Também