Sábado, 18 de Novembro de 2017

Forte onda de frio deixa quase 200 mortos na América do Sul

19 JUL 2010Por 20h:05
Levantamento feito pelo  serviço de meteorologia MetSul, do Rio Grande do Sul, indica que em torno de 200 pessoas  morreram em países da América do Sul em consequência do frio intenso registrado desde o mês de maio.  Na Bolívia, onde La Paz teve no dia 9 a maior nevada dos últimos 42 anos, as férias de inverno tiveram que ser prolongadas. Quatro pessoas morreram em razão da baixa temperatura na semana passada. No Peru, as autoridades informam que o frio intenso registrado há dois meses já matou 67 crianças de pneumonia. No Chile, onde o inverno está sendo considerado o mais frio em três décadas, seis pessoas morreram. No Paraguai, pelo menos três pessoas faleceram de frio apenas na semana passada, forçando as autoridades a implementar plano de emergência para prestar socorro aos desabrigados que jamais foi colocado em prática nos últimos anos.
Na Argentina, onde o frio agrava crise estratégica severa de energia elétrica, registra-se o saldo mais trágico. São 61 mortes confirmadas (desde junho) oficialmente, mas balanços feitos a partir de informes da imprensa dão conta que o frio intenso que atinge o país desde maio já teria causado cem mortes. Somente na última semana, foram 28 vítimas. Nove entre quinta-feira e ontem.
 O Uruguai vive o inverno mais rigoroso em pelo menos vinte anos. Durante o outono, a temperatura já oscilou entre 2º C e 2,5º C abaixo da média histórica. Nevou na semana passada em Nueva Palmira e Tarariras, no Departamento de Colonia, o que não ocorria desde 1962. A neve ainda caiu no Departamento de Treinta y Tres, situado muito próximo da fronteira com o Brasil.
Mas a festa provocada pela neve rapidamente deu lugar à realidade cruel do frio. O sistema de saúde ficou superlotado com milhares de doentes e as emergências nos setores público e privado ficaram saturadas de pacientes. O frio começou a matar e sete pessoas perderam a vida em consequência da baixa temperatura.
A produção agrícola viu-se seriamente afetada no norte do país com perdas estimadas em milhões de dólares. Na estação experimental de San Antonio da Facultad de Agronomía a temperatura na relva atingiu 14ºC abaixo de zero. Nas proximidades de Bella Unión, em Monte Caseros, a mínima de 6ºC negativos foi a menor temperatura na localidade em 90 anos.
Os aquecedores se esgotaram nas lojas e os bombeiros registram um número recorde de chamados por incêndios originados em estufas. A empresa de água e saneamento OSE recebeu centenas de reclamações por canos estourados devido ao congelamento e a estatal UTE de energia luta contra a escassez de energia nos dias mais frios. A  última vez que havia nevado oficialmente com acumulação no Uruguai foi em 1º de agosto de 1991, segundo a Meteorologia de Montevidéu.

Leia Também