Segunda, 20 de Novembro de 2017

Forças especiais prendem casal acusado de integrar guerrilha

22 MAR 2010Por 08h:51
Agentes que integram as forças especiais que executam a “Operação Jaguarete” prenderam o casal Hugo Diosnel Gill e Graciela Samaniego Lopes, apontado como integrante da guerrilha que se identifica como Exército do Povo Paraguaio (EPP). A prisão ocorreu no último sábado, no município de Horqueta, localizado a cerca de 100 quilômetros da divisa com Ponta Porã. De acordo com as informações divulgadas ontem pelo promotor de Justiça Federico Delfino, Hugo Diosnel Gill, de 22 anos, e Graciela Samaniego Lopes, de 20 anos, foram presos por volta das 22h, durante uma das incursões dos policiais paraguaios em um acampamento de campesinos (sem-terra) na região de Horqueta. No local os policiais encontraram uma máquina de costura que estaria sendo utilizada na fabricação de fardas para os componentes da guerrilha. Também foram apreendidos um fuzil modelo M-16, de uso exclusivo das Forças Armadas do Paraguai, cerca de US$ 1.500 e 5 milhões de guaranis, valor equivalente a R$ 2 mil. Resgate O promotor Federico Delfino informou que o dinheiro encontrado com os supostos guerrilheiros seria o restante do valor pago a título de resgate pela libertação do fazendeiro Fidel Zavala. O produtor rural ficou três meses em poder da facção paraguaia, que é uma cópia das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Esse é o segundo casal preso apontado como integrante do autodenominado Exército do Povo Paraguaio. No dia 23 de fevereiro passado, a Polícia Nacional prendeu na linha divisória com Ponta Porã, Juan Bernal Maiz e César Alvarenga Benites. Os dois, segundo as autoridades paraguaias, eram integrantes da guerrilha e estariam na região planejando novos sequestros, principalmente de políticos, fazendeiros e grandes empresários.

Leia Também