Quarta, 22 de Novembro de 2017

Financiamento para casa própria cresce 119% em Mato Grosso do Sul

20 JUL 2010Por 07h:29
VERA HALFEN

No primeiro semestre de 2010, o volume de financiamentos para a compra da casa própria, em Mato Grosso do Sul, registra crescimento de 119,72% – considerado recorde histórico pela Caixa Econômica Federal e superior ao índice nacional, no mesmo período, que aponta crescimento de 95,1%. De janeiro a junho, foram financiados R$ 424 milhões e assinados 5,4 mil contratos. Esse montante é superior ao aplicado em moradias, durante todo o ano de 2008, que fechou com R$ 297,6 milhões. De acordo com balanço divulgado ontem pela instituição, do total financiado, 59,4% – que correspondem a R$ 251,8 milhões – foram destinados ao programa Minha Casa, Minha Vida (MCMV).
De acordo com o superintendente da Caixa em Mato Grosso do Sul, Paulo Antunes de Siqueira, “o desempenho do Estado é um dos melhores do País”. Para o superintendente, o programa MCMV proporcionou acesso ao financiamento para aquelas famílias que não possuíam condições de realizar o sonho da casa própria, devido à baixa renda familiar. “O programa traz essa oportunidade, porque com o subsídio as prestações do imóvel são menores”.
“Estamos financiando imóvel para aquelas famílias que recebem até quatro salários, que representam 90% do déficit habitacional. Hoje, podemos dizer que fizemos o déficit mudar para demanda, ou seja, se antes com R$ 3 mil não era possível financiar, tínhamos um déficit; hoje com R$ 2 mil as famílias têm essa facilidade de acesso ao financiamento, indicando demanda; e com prestações baixas”, ressalta Paulo Antunes.
Perspectivas
Para o superintendente, “se no primeiro semestre foi consolidado quase meio milhão em financiamentos, e, se esse ritmo continuar, Mato Grosso do Sul poderá fechar o ano com R$ 1 bilhão em empréstimos para a casa própria”.

País
Em todo País, a Caixa aplicou durante o primeiro semestre, em crédito imobiliário, R$ 34,10 bilhões, com mais de 575 mil contratos assinados. De acordo com o banco, o volume de recursos para o crédito habitacional, nos primeiros seis meses deste ano, representa um crescimento de 95,1% em relação ao mesmo período do ano passado e já é maior que todo o montante aplicado em moradias em 2008, quando foram emprestados R$ 23,3 bilhões. O número já chega a quase sete vezes ao que foi emprestado em 2003. Para 2010, o banco prevê aplicação em crédito imobiliário acima de R$ 60 bilhões.
As linhas de crédito habitacional, destinadas a financiar a produção e a aquisição de imóveis novos, foram significativas. Para imóvel novo ou na planta, os empréstimos alcançaram o valor de mais de R$ 20,8 bilhões, ou seja, 173,7% a mais que o primeiro semestre de 2009. A quantidade de unidades aumentou 300%, saindo de 74.898 em 2009 e chegando a 301.405 no mesmo período em 2010. Já os recursos investidos no financiamento de imóveis usados aumentaram 39% nos primeiros seis meses do ano, com relação ao mesmo período em 2009, saltando de R$ 9,6 bilhões para R$ 13,3 bilhões.

Feirão
O resultado expressivo do semestre também pode ser associado à realização da sexta edição do Feirão Caixa da Casa Própria. O evento, que passou por treze cidades brasileiras, recebeu 576.194 visitantes e movimentou um volume de recursos de R$ 8,4 bilhões. Os números confirmaram a expectativa do banco em superar as edições anteriores e representam um aumento de 70% em comparação ao volume movimentado no ano passado, de R$ 5 bilhões.

Leia Também