Segunda, 20 de Novembro de 2017

Finalmente

2 AGO 2010Por 12h:06
Não foi uma nem duas vezes que este espaço foi ocupado ao longo dos últimos dois anos, desde quando entrou em vigor a lei seca, para cobrar a presença da polícia nas ruas de Campo Grande em locais e horários críticos, nos quais condutores simplesmente fazem chacota da lei que veta a combinação álcool/volante.  Muito pouco de efetivo ocorreu, tanto que vez por outra há registro de acidentes decorrentes da irresponsabilidade de motoristas e também da omissão das autoridades.  A morte de uma jovem vítima de um "racha" em plena Avenida Afonso Pena é o exemplo mais recente.
    Nestes últimos dias, porém, virou notícia exatamente o contrário: policiais de trânsito combatendo certas irresponsabilidades. No meio da última semana, dois jovens foram flagrados fazendo "pega" nos altos da Afonso Pena. Embora a polícia de trânsito não dispusesse de radar para constatar a que velocidade estavam os motoristas inconsequentes, oito homens à paisana filmaram a ação, detiveram os jovens e impuseram multas exemplares, o que certamente será fundamental para coibir futuros rachas. Há dois anos os envolvidos na chamada "quinta-verde" já postavam vídeos na internet exibindo as irresponsabilidades.
    Além disso, neste fim de semana os policiais de trânsito deram atenção especial aos motoristas que transformam os postos de combustíveis em "botecos", literalmente enchem a cara e depois saem fazendo gracinhas pelas vias, colocando em risco a própria vida e a dos outros. Os resultados desta operação nem mesmo precisam ser os mais expressivos. O importante é que os condutores saibam que a polícia está nas ruas e que correm risco real de cair em alguma blitz, na qual levarão pesada multa e ainda podem ficar sem o veículo.
    Então, se as constantes omissões da PM, o que certamente não é fruto da leniência de policiais ou da falta de empenho de algum comandante, mas da estrutura e da política governamental, recebem críticas, operações que trazem resultados positivos também merecem ser destacadas. Nos últimos anos, a Polícia Militar incorporou quase mil soldados. O setor do trânsito, contudo, permaneceu do mesmo tamanho, deixando claro que o Governo estadual lava as mãos quando o assunto é a Lei Seca. Não fossem os bafômetros distribuídos pelo Governo federal, nem mesmo este equipamento os policiais teriam em mãos.
    Ir para as ruas e coibir violações à legislação é nada mais que a obrigação de qualquer instituição policial. Então, o fato de ter virado notícia a atenção especial dada àqueles jovens e adultos que bebem todas no pátio dos postos só reforça a sensação de ausência no dia a dia, já que as aglomerações, assim como os rachas na Afonso Pena, são antigos. A esperança, porém, é que algo esteja mudando e que a presença passe a ser uma constante na região central e nas principais vias dos bairros, já que estas estão se mostrando tão perigosas quanto as primeiras.

Leia Também