Sexta, 24 de Novembro de 2017

Filme mostra o artista falando de si mesmo

28 ABR 2010Por 19h:22

Durante a abertura da exposição será exibido o curta-metragem "Beto Lima, intérprete das flores", de Cândido Alberto da Fonseca. O filme faz parte da série "Ilustres desconhecidos", formada por outras gravações que o diretor fez com vários artistas plásticos de Mato Grosso do Sul, como Lelo, Isaac de Oliveira, Rosane Bonamigo, Conceição dos Bugres e Patty Helney.

O filme sobre Beto Lima tem 13 minutos e destaca entrevistas feitas ao longo de alguns meses antes de sua morte. "O que ele me pediu era para não fazer um filme triste, então lhe disse que faria um filme gay, alegre e ele topou", conta Cândido.

O artista plástico diz nas entrevistas que não é um copista, mas um intérprete daquilo que vê. "Interessante é que ele não gostava do próprio traço, que é um dos aspectos mais bonitos de sua produção", destaca o diretor do filme. Para estabelecer o clima alegre e descontraído sugerido por Beto, a trilha sonora é constituída de salsa cubana original, montada pelos músicos Antônio Porto e Alex Cavalheri.

O filme inicia com Beto tomando banho numa banheira, no jardim de sua casa. A cena representa muito da sua personalidade, que é definida em muitos momentos, pelos próprios familiares, como excêntrica. "A banheira inicia e encerra o filme", antecipa Cândido. Para o diretor, a obra de Beto Lima se diferencia da de outros artistas locais pela liberdade de tema e forma. A intenção de Cândido é que a obra percorra festivais de cinema pelo Brasil. (OR)

Leia Também