Domingo, 19 de Novembro de 2017

Falta preocupação

30 JUL 2010Por 09h:32
Os dados apresentados pelo Ministério da Saúde podem ser facilmente constatados durante uma rápida consulta a transeuntes de qualquer região da cidade. Entre cinco homens entrevistados pelo Correio do Estado, apenas um afirma fazer exames preventivos, pelo menos uma vez por ano. “De forma geral, me preocupo com a saúde e, como a empresa paga convênio médico, acaba sendo mais fácil, pois evito filas. No trabalho também tenho facilidade para conseguir ir ao médico fazer exames preventivos”, explica o vendedor Willem da Silva, de 30 anos.
Todos os entrevistados concordaram que os homens não fazem muita questão de ir ao médico para exames de rotina. Flávio Eduardo, corretor de imóveis de 35 anos, conta que só se dá ao trabalho de ir ao médico quando os sintomas apertam. “Estou bem, mas reconheço que é um erro. Costumamos ser mais descuidados em relação à saúde e acho importante medidas como a do ministério. Todavia, falta divulgação, eu não sabia dessa campanha”, alega.
Já para o auxiliar de escritório Renan Pereira, de 20 anos, não fazer exames rotineiros é um modo de evitar problemas maiores. “Não tem porque procurar algo que não está me fazendo mal algum. Se eu sentir algo diferente, procuro um médico, mas até lá, acho desnecessário”, acredita.
As políticas desenvolvidas pelo Ministério da Saúde têm o objetivo de mudar a consciência de pessoas do sexo masculino que pensam dessa forma. (TA)

Leia Também