Segunda, 20 de Novembro de 2017

Escassez

Falta cimento para o setor da construção

1 JUL 2010Por 07h:53
Cícero Faria, Dourados

Depois da escassez de profissionais da construção civil, como pedreiros, falta cimento para atender a demanda deste setor em Dourados. O mesmo problema ocorre em outros municípios onde a expansão econômica está atraindo novas indústrias como para Campo Grande e Três Lagoas.

“A transposição do rio São Francisco é um dos maiores consumidores de cimento no País. As cimenteiras garantiram que até o fim desta semana o abastecimento em Mato Grosso do Sul deve ser normalizado, uma vez que esse problema é nacional”, informou o engenheiro Carlos Roberto Felipe, de uma empreiteira da prefeitura.

Recentemente, começaram em Dourados as obras de drenagem que irão beneficiar 80 mil moradores de pelo menos 40 bairros de Dourados, num investimento total de R$ 35 milhões do PAC. Em toda obra serão utilizados em torno de 120 mil sacos de cimento.

Felipe explicou que a empreiteira já tinha feito uma encomenda de 2.400 sacos de cimentos e na semana passada pediu mais 4.800 e aguarda posição das indústrias. Ele lembra que de junho ao início de outubro é uma época favorável às obras, uma vez que é reduzido o volume de chuvas.

Também as lojas de material de construção de Dourados sofrem com a falta do material básico da edificação civil e o comércio não consegue nem atender novos clientes, que estão sendo recusados. Apenas os consumidores mais antigos têm recebido  cimento, de forma limitada. 

Leia Também