Domingo, 19 de Novembro de 2017

VIOLÊNCIA

Falsos policiais aterrorizam e fazem assaltos na Capital

27 JAN 2010Por THIAGO ANDRADE E NADYENKA CASTRO07h:59
Assaltantes se fazendo passar por policiais cometeram dois roubos em Campo Grande, entre o final da noite de segunda e o início da madrugada de ontem. Três bandidos foram presos e dois já estão identificados. O primeiro assalto aconteceu por volta de 20h30min, nas proximidades da Avenida Guaicurus. A vítima, uma universitária de 22 anos, conduzia um Gol preto quando foi abordada por três homens que ocupavam um Gol de cor prata. Eles mostraram distintivos de policiais e apenas um saiu do automóvel. O suposto policial pediu os documentos do veículo da jovem e os dela, afirmando então que a placa estava clonada e por isso precisavam ir à delegacia. A universitária pediu para que a mãe fosse junto e então os bandidos passaram na casa dela, pegando a mulher, uma professora de 52 anos. Mãe e filha seguiram com dois bandidos no Gol deles, enquanto outro levou o carro da vítima. Em um determinado momento, os falsos policiais anunciaram o assalto e abandonaram as duas nas proximidades da fábrica da Coca-Cola. Como a jovem já estava desconfiada que pudesse ser vítima de algum crime, a irmã dela anotou a placa do Gol dos ladrões e acionou a Polícia, após a confirmação do roubo. Com o endereço de um dos suspeitos em mãos, investigadores da Delegacia Especializada de Repressão a Roubos e Furtos (Derf), com apoio da Delegacia Especializada de Repressão a Furtos e Roubos de Veículos (Defurv), foram à Vila Margarida e viram quando Willian Cezar de Oliveira Arinos, 21 anos, chegou em casa, em outro veículo. As características dele, inclusive detalhes como o uso de aparelho nos dentes, eram as mesmas repassadas pelas vítimas. Com isso, ele foi preso. Através de Willian, os investigadores chegaram até o outro envolvido: Anderson Correa de Oliveira, 30 anos. Na casa de Anderson, no Bairro São Bento, foram encontrados os dois automóveis Gol. O roubado já estava até com outra placa e seria vendido no Paraguai. Willian e Anderson são primos e foram reconhecidos pelas vítimas. Na residência do São Bento foram encontradas as camisetas pretas com inscrições de polícia usadas por eles, coldres, distintivos, coturnos e a pistola usada para ameaçar mãe e filha. Segundo o delegado Cláudio Martins, outros dois casos estão relacionados: o roubo de um Ford Ka, que foi vendido por R$ 3,5 mil no Paraguai, e um sequestro relâmpago. “Eles têm conhecimento da área policial e as vítimas acreditam quando são abordadas. Ainda estamos investigando, mas acreditamos que haja outros envolvidos além dos três”, defende. O terceiro assaltante envolvido na ação é Edson Arguelho Souza, 21 anos, que prometeu se apresentar. Roubo a residência O outro crime envolvendo falsos policiais aconteceu na madrugada de ontem, no Bairro Universitário, que fica na mesma região onde aconteceu o primeiro assalto. Por volta da 1h, um adolescente de 15 anos ouviu barulhos em frente à casa dele e foi checar o que havia acontecido. Nesse momento, os dois assaltantes disseram ser policiais federais e que estavam no local para prender a família por tráfico de drogas. Ao entrar na residência, a dupla rendeu os moradores e anunciou o roubo. Um dos envolvidos, Lucas Delamare Braúna, 36 anos, foi preso logo depois, escondido em um terreno baldio vizinho à casa da mãe do outro assaltante, na Avenida Guaicurus. Lucas portava uma faca de açougueiro. Sérgio dos Anjos Camilo, 34 anos, ainda não foi encontrado e carregava uma pistola prateada de brinquedo. Os dois fizeram todos que estavam na casa reféns, incluindo uma criança de nove anos e um bebê de dois meses. Segundo o boletim de ocorrência, Lucas estava bastante alterado e violento, e desferiu um soco no peito da refém de 56 anos.

Leia Também