Quarta, 22 de Novembro de 2017

Fábrica de biodiesel será ativada este ano

2 AGO 2010Por 06h:57
Cícero Faria, Dourados

A unidade de biodiesel da Agrenco, em Caarapó, somente deverá entrar em funcionamento no final de 2010, esmagando 500 mil toneladas de soja por ano, depois da ativação da outra indústria com os mesmos objetivos em Alto Araguaia, em Mato Grosso.
A fábrica em território mato-grossense está praticamente concluída, mas falta capital de giro para financiar a operação de compra de soja  para alimentar o maquinário. A empresa pediu recuperação judicial em setembro de 2008 e tem dívidas de cerca de R$ 1 bilhão.
A Agrenco iniciou esse ano com a expectativa de que Alto Araguaia começasse a funcionar no primeiro trimestre. E com as receitas obtidas, começaria a cumprir o acordo de pagamento dos credores, além de concluir as obras e inaugurar a outra fábrica que está sendo erguida em Caarapó. Isso deveria ter acontecido até maio passado, o que também não foi possível, explicou o novo presidente do grupo, Valdenir Soares, em entrevista ao jornal Valor Econômico.
Os gestores da Agrenco estimam que, com um capital de giro de US$ 80 milhões, ela volta a operar. No acordo de parceria fechado com a suíça Glencore, está prevista a possibilidade de um aporte emergencial de até US$ 50 milhões para capital de giro. Os outros US$ 30 milhões são de responsabilidade da companhia.
A fábrica de Alto Araguaia terá capacidade para esmagar um milhão de toneladas de soja por ano e produzir 600 toneladas diárias do biodiesel. As vendas desse biocombustível, que se tornou o foco da Agrenco após o pedido de recuperação judicial, poderão gerar faturamento anual de R$ 800 milhões.
A planta de cogeração de energia deverá ser terminada até julho. A eletricidade pode ser produzida a partir de capim, bagaço de cana ou cavaco de madeira. Para a produção de capim, a Agrenco arrenda uma área de 30 mil hectares na região de Alto Araguaia.
A fábrica de Caarapó tem as mesmas características de Alto Araguaia, mas com metade da capacidade de produção. Assim, quando estiver a pleno vapor será capaz de gerar faturamento anual em torno R$ 400 milhões.

Leia Também