Segunda, 20 de Novembro de 2017

Evangélicos marcham para Jesus no centro da Capital

27 AGO 2010Por 18h:36
Vânya santos

Cerca de 25 mil evangélicos participaram, ontem, da Marcha para Jesus, que teve início às 15h, na Praça do Rádio, em Campo Grande. A estimativa de público é da Polícia Militar e Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), que organizaram a passagem da multidão pelas ruas da região central. Diversos candidatos a cargos políticos aproveitaram a mobilização para pedir votos aos participantes do evento.
De acordo com o presidente da Aliança Evangélica, entidade organizadora, pastor Ronaldo Leite Batista, a marcha  tem grande importância para a Capital. “É o povo de Deus, independente de placa religiosa, marchando, quebrando maldições, abençoando a cidade em todos os sentidos e áreas, fora das paredes do templo religioso”, garantiu.
A concentração foi animada por banda gospel. A marcha, que ocorre desde 1997 em Campo Grande, teve início com os evangélicos subindo pela Avenida Afonso Pena até a prefeitura. Em seguida, retornou pela mesma via até a Rua 13 de Maio, em direção à Avenida Fernando Correa da Costa, onde teve show com o cantor Fernandinho.
Participante assíduo da marcha, o fiscal Glaucio Pereira Ferreira, 35 anos, explicou que o evento é de unidade da família e da igreja. “É uma profissão de fé em Jesus porque em Timóteo diz que só há um intermediador entre Deus e o homem”, exemplificou o fiel da Igreja Evangélica em Campo Grande.
Integrante da Igreja Sara Nossa Terra, a esteticista Jailda Ferreira Farias, 44 anos, disse que sempre participou do evento e explicou que a ocasião é uma oportunidade para que todas as igrejas se reúnam com a finalidade de orar em prol da cidade. A funcionária pública Maria de Lourdes Fagundes Seixas, 50 anos, que participa do Ministério Efraim, também concorda que marcha é um ato profético que une o povo independentemente de igreja.
Para o casal Priscila, 33 anos, e Hudson Gimenes, 34 anos, da Igreja Batista Nacional, a Marcha para Jesus profetiza as pessoas em meio a tantas tragédias. “Nós nos reunimos para levar a paz e o amor de Jesus”, ressaltou o gerente administrativo.

Leia Também