Sábado, 18 de Novembro de 2017

Estudo tenta relacionar casos com agrotóxicos

12 SET 2010Por 14h:58
O coordenador responsável por arrecadar fundos para o Hospital de Barretos em Mato Grosso do Sul, Ademar Capucci, relata que vêm presenciando muitos casos de câncer em trabalhadores que utilizam agrotóxicos, tanto na zona rural quanto nas cidades. “Tem muita queixa sendo feita, e também o número de pessoas que vêm nos pedir auxílio para ir a Barretos aumentou, principalmente em gente com esse perfil”, relata Capucci, que reside em Fátima do Sul.
O Vale do Ivinhema — que inclui cidades como Nova Andradina, Angélica e Ivinhema — seria a região mais afetada, segundo o coordenador. A doença estaria relacionada ao uso de agrotóxicos nas lavouras por conta da grande produção agrícola no local, como soja, milho e trigo, além da crescente cultura de plantio de cana-de-açúcar.
Pesquisa realizada em Culturama, distrito de Fátima do Sul, no ano passado, investigou a relação do uso de agrotóxicos com as ocorrências de câncer. Dos entrevistados, 72,6% dos trabalhadores rurais disseram que não utilizam equipamentos de proteção pessoal (como máscaras, luvas e sapatos especiais) durante o preparo e a aplicação dos agrotóxicos o que deixa esta população em situação de alto risco – 53,7% afirmaram estar em contato com agrotóxicos por mais de seis horas diárias. O trabalho é resultado de uma tese de doutorado da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), assinada pelo médico Antônio Perez.  (MR)

Leia Também