Terça, 21 de Novembro de 2017

Escolas inovam e até perfume exalou de carros alegóricos

17 FEV 2010Por 07h:45
O desfile das quatro escolas do Grupo Especial de Corumbá, encerrado na madrugada de ontem, foi um espetáculo que revela a grandeza do carnaval de rua considerado o melhor do interior brasileiro. As agremiações ousaram na passarela do samba, trazendo inovações tecnológicas, como o perfume exalado pelos carros alegóricos da Império do Morro, e uma batida cada vez mais afinada e envolvente dos ritmistas. Mais de 40 mil pessoas assistiram ao desfile, na Avenida General Rondon. Muitas pessoas chegaram na manhã de segunda-feira para guardar lugar nas arquibancadas, trazendo lanche, água e bebida, apesar da ameaça de chuva. Depois de vibrar muito na passagem da sua escola, os corumbaenses agora entram em estágio de comoção com a apuração da comissão julgadora, que ocorrerá hoje, às 15h. Ao final da apresentação das escolas a avaliação de profissionais do samba, da imprensa e do público se convergia: a Império do Morro, campeã de 2009, foi a melhor, e o segundo lugar será disputado entre a Vila Mamona e A Pesada. Primeira agremiação a desfilar, a Major Gama decepcionou e deve cair para o Grupo B. A escola teve problemas internos e se preparou em apenas um mês. O desfile no domingo e segunda-feira das oito entidades que compõem a Liesco (Liga Independente das Escolas de Samba), entre os grupos A e B, foi um grande show de técnica e organização. As escolas evoluíram, dentro e fora da passarela, exemplo da Pesada, uma agremiação pequena, de beira- rio, que cresceu e equilibrou o campeonato. Destaque também para a Nova Corumbá e Caprichosos, do grupo de acesso. Dos quatro mil componentes que passaram pela avenida, anteontem, pelo menos 40% são turistas, que adquiriram suas fantasias por preços que variam de R$ 50 a R$ 300. Esse comércio também cresce e gera mais renda para as escolas, as quais já não dependem totalmente de recursos públicos, explicou o presidente da Liesco, Zezinho Martinez. “Nosso carnaval extrapolou, deixou de ser apenas de Corumbá”, diz ele. Disputa acirrada Com exceção da Major Gama, que não empolgou o público com seu enredo “Julieta Marinho, um exemplo de vida”, a disputa pelo título deste ano será equilibrada. Impecável, a Império do Morro foi aclamada na avenida, apresentando nove carros alegóricos, harmonia e muito brilho. Seus 1.200 integrantes cantaram o enredo “Meu olfato indica que a Império vai passar; sinto um cheiro de perfume no ar”. A Vila Mamona, campeã por 15 vezes, fez coreografias com sua bateria nota 10, buscou criar um clima de festa e nostalgia ao defender o samba- enredo “Carnaval dos carnavais”, contudo faltou animação na pista e a comissão de frente não representou o propósito do tema. A Pesada fez uma viagem fantástica inspirada nos livros de Júlio Verne, com riqueza de cores e adereços nas alas e criativas alegorias. A Major Gama trouxe do Rio de Janeiro a rainha da bateria Patrícia Musa, 28, que desfilou domingo na Unidos da Tijuca. “Foi maravilhoso, senti a mesma emoção quando danço no Sambódromo”, disse ela, na dispersão da escola. Braguinha, puxador da Grande Rio, defendeu o samba-enredo da Mocidade Independente Nova Corumbá. A presença dos dois profissionais foi o diferencial deste carnaval.

Leia Também