Sexta, 24 de Novembro de 2017

Erosão em Ivinhema é controlada

3 FEV 2010Por FÁBIO DORTA, DOURADOS07h:48
A erosão gigante que ameaça engolir parte do município de Ivinhema, que fica a 224 quilômetros de Campo Grande, está controlada, mas poderá aumentar caso volte a chover forte nos próximos dias. A voçoroca, aberta em dezembro do ano passado, está com 240 metros de comprimento, 40 metros de altura e quase 15 metros de profundidade. A fenda aberta no bairro Piravevê, no curso do córrego Ponta Porã, fez desmoronar metade da calha de águas pluviais construída com cimento e já está a menos de 300 metros de distância da Avenida Estados Unidos, onde ficam estabelecimentos comerciais, residências e a delegacia de Polícia Civil. O secretário municipal de Obras, Valter Sacaramal, disse ontem que o trabalho de contenção conseguiu evitar que a erosão se alastrasse mas, segundo ele, caso volte a chover forte, podem ocorrer deslizamentos, prejudicando o trabalho que foi feito. “Se voltar a chover 50, 60 milímetros, a erosão tende a aumentar”, afirmou. Perigo O secretário disse que os serviços de contenção resistiram bem à chuva de 30 milímetros que caiu no último sábado, dia 30 de janeiro, mas que dificilmente resistiria a uma precipitação maior. Por causa da erosão foi decretado e homologado estado de emergência e a prefeitura aguarda a liberação de recursos federais para obras que resolvam de vez o problema. O município já enfrentou outras três erosões gigantes, a primeira em 1978, no mesmo local, e outras duas no final da década de 1990, em dois bairros da periferia da cidade, os jardins Triguinã e Itapoã. Nestes casos, a situação foi controlada, embora centenas de famílias morem nas proximidades de imensos buracos.

Leia Também