Quarta, 22 de Novembro de 2017

Era dos "bombados"

1 ABR 2010Por 20h:40

Em meio ao modismo que levou academias de ginástica a se multiplicarem numa agilidade semelhante à de igrejas evangélicas, é até compreensível que qualquer patrão prefira funcionários em boa forma física e aparentemente saudáveis, em detrimento àqueles que ainda não transformaram o culto à aparência numa espécie de religião. E, até o  poder público já deixou claro que aderiu à febre dos “bombados”. Prova disto é que o concurso público para contratação de agentes comunitários de saúde exige que os aprovados tenham preparo comparável ao de atletas. Conforme o edital, só será aprovado aquele candidato que conseguir erguer cinco vezes, em um minuto, peso de 25 quilos do chão até a altura do peito. Para efeito de comparação, trata-se de meio saco de cimento. 

 Os organizadores do concurso podem até alegar que entre as obrigações dos agentes está a de acompanhar o peso das crianças até o quinto ano de vida, quando elas normalmente já passam dos 20 quilos. Na prática, porém, todos sabem que qualquer família ou profissional da saúde só faz este acompanhamento até, no máximo, os dois anos. Além disso, o equipamento disponibilizado para fazer a pesagem não suporta crianças deste tamanho. E, ao que tudo indica, a mania dos “bombados” também chegou à infância, pois no concurso passado os candidatos eram obrigados a fazer o teste com 20 quilos. Então, ao que tudo indica, até os bebês passaram a rezar pela cartilha dos fisiculturistas e estão acumulando músculos mais cedo e por isso pesando mais.

 Algumas das candidatas dizem estar treinando há semanas para enfrentar a bateria de exames, prevista para a próxima segunda-feira, dia 5 de abril. Apesar disso, são poucas as que conseguem. Candidatos do sexo masculino, por outro lado, já dizem que o teste não é nenhum bicho de sete cabeças. Há muito as mulheres exigem direitos iguais. Agora, então, assumam as consequências, devem estar pensando os organizadores do concurso. Certamente por isso  fizeram as mesmas exigências para eles e elas. Em outro concurso em andamento na Prefeitura de Campo Grande, para agente de trânsito, o teste físico prevê preparo conforme o sexo e a idade dos concorrentes, obedecendo a ordem natural das coisas. No caso dos agentes de saúde também não existe diferença de idade. Candidatas de 50 anos, por exemplo, terão de levantar a mesma barra que um jovem de 20 anos.

 E tem mais, os preparadores físicos simplesmente desconhecem a técnica utilizada para erguer peso do chão até a altura do peito, pois em academia nenhuma pratica-se exercício parecido. Somente halterofilistas realizam este tipo de treinamento, pois o risco de ocorrer lesão na coluna é grande, caso não seja utilizada técnica correta.

 O questionamento principal, porém, é saber por que existe esta exigência. Perguntado, nem mesmo o prefeito, que é médico e deve saber a forma de atuação do Programa de Saúde da Família, soube responder. Disse apenas que a responsabilidade pela elaboração do edital é de uma empresa terceirizada. Ou seja, até para contratar servidores apela-se à famosa terceirização.

Leia Também