Quinta, 23 de Novembro de 2017

Emocionado, Roberto Carlos sepulta a mãe Lady Laura

20 ABR 2010Por 20h:42

Roberta Pennafort (AE)

 

Amparado pela família, os amigos da época da Jovem Guarda e cerca de 400 fãs, Roberto Carlos sepultou sua mãe ontem, dia em que fez 69 anos. Chorando muito, ele cantou "Lady Laura", a música que compôs em sua homenagem, diante do caixão – bem baixinho, como se fosse para só ela ouvir. Laura Moreira Braga morreu no sábado, aos 96 anos. O sepultamento foi no cemitério Jardim da Saudade, em Sulacap, pouco depois das 10h.

O cantor preferiu não olhar quando o caixão baixou à sepultura, e virou o rosto para o lado. Antes de sua chegada, os fãs, em parte incitados por cinegrafistas de emissoras de TV, cantaram sucessos como "Jesus Cristo", "Nossa Senhora", "Como é grande o meu amor por você" e a própria "Lady Laura", canção em que fala do conforto que encontrava, já adulto, no abraço da mãe. No momento final, no entanto, silenciaram.

As pessoas chegaram cedo e não se deixaram abater pelo sol forte. "Vim em homenagem ao Roberto, quero compartilhar da sua dor", contou Odinete Moreira, de 76 anos. O público foi mantido afastado do local do sepultamento por seguranças, mas pôde assistir distante apenas vinte metros. Muita gente estava ali para ver não só Roberto, mas também Erasmo Carlos, Wanderléa, Rosemary e Jerry Adriani. O cantor chegou às 9h45min, acompanhando o carro funerário, e ficou meia hora na capela, fechada ao público, onde a família o esperava. O padre Antônio Maria, seu amigo, fez as orações.

Nos últimos dois dias, Roberto não descansou: soube da morte da mãe no sábado à noite, quando se preparava para o bis no show do Radio City Music Hall, em Nova York (a cidade abriu a turnê internacional comemorativa dos 50 anos de carreira, que termina na Colômbia, em junho). Tentou voltar imediatamente para o Rio, mas não conseguiu. Ontem de manhã, embarcou e, ao chegar ao Rio, foi direto para o hospital Copa D’Or, onde ela estava internada.

Hoje, sem condições de falar sobre a perda, ele só acenou para os fãs. Na saída da capela, Roberto carregou o caixão junto com parentes. Curiosamente, o túmulo de Lady Laura é quase ao lado de onde fica o da cantora Cássia Eller, que morreu em 2001.

Os amigos lembraram a personalidade afetuosa da "rainha mãe". "Pra mim, era o gênio do Roberto", disse Rosemary. "Lembro de a gente varar a madrugada gravando e ela aparecendo no estúdio, às 2 da manhã, com balinhas pra todos", contou o produtor Guto Graça Mello.

O cronograma da turnê não será alterado, afirmou o empresário de Roberto, Dody Sirena. "O sucesso dele era o maior orgulho da Lalá". O próximo show é dia 4 de maio, em Lima, no Peru.

Leia Também