Sexta, 24 de Novembro de 2017

Em uma semana de frio, comércio fatura 30% a mais

17 JUL 2010Por 07h:38
ADRIANA MOLINA

As vendas do comércio varejista de Campo Grande registraram acréscimo de 30% apenas nesta semana, conforme dados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL). O frio repentino motivou os consumidores que, aproveitando as liquidações de inverno que já haviam começado, com descontos que chegam a 80%, saíram às compras - a maior parte pagando a prazo, principalmente em crediários e cheques. A Associação Comercial  e Industrial da Capital (ACICG) verificou aumento de 26,23% nas consultas de crédito nas lojas no período.
Segundo o presidente da CDL, Ricardo Kuninari, embora as promoções da estação já estejam acontecendo desde o dia 1º, a movimentação ainda não havia crescido por conta do calor,  começou efetivamente apenas na última segunda-feira, com a chegada de uma frente fria que derrubou as temperaturas. “A partir do momento em que esfriou muitos foram em busca das peças de inverno, que estão em promoção, elevando significativamente as vendas nos últimos dias”, conta.
O resultado é a queima de estoques até então encalhados por conta do calor. A loja de vestuário Mega Jeans, que está com descontos de até 50% na queima de estoque de inverno, comercializou cerca de 80% das peças do tipo. “A maioria das lojas desacreditou no frio e encaixotado as coleções de casacos, mas nós resolvemos esperar e o resultado foi a venda de quase tudo com a queda de temperatura nesta semana. Está compensando”, explica o gerente Wanderley Cícero de Souza. Nas prateleiras do estabelecimento sobraram poucas peças. O mesmo ocorreu com empresas do setor calçadista, que também tiveram suas vendas disparadas nesta semana por conta da frente fria. Em uma das filiais da Studio Z Meio Preço, apenas nos últimos quatro dias as vendas cresceram 40%, em comparação com a melhor época para os lojistas, o início de mês, quando os consumidores recebem seus salários e estão capitalizados.
“Ficamos até surpresos, porque nunca vendemos tanto em tão pouco tempo, mesmo com as promoções”, afirma o gerente Daniel Marc Meneses. As líderes de vendas, segundo ele, têm sido as botas de cano longo, que custam a partir de R$ 39, seguida de sapatos scarpins, com valores desde R$ 19.

Leia Também