Domingo, 19 de Novembro de 2017

Em um dia, foram 700 irregularidades

5 AGO 2010Por 07h:34
Em único dia de testes, o dispositivo “olho vivo” flagrou 700 motoristas avançando o sinal vermelho ou em excesso de velocidade na Avenida Gury Marques, próximo à estação rodoviária de Campo Grande, no sentido centro-bairro. O equipamento, que consiste de sistema de laços indutivos (placas de sensores instalados sob o pavimento asfáltico), permite o monitoramento individualizado por faixa de tráfego (inclusive motos) e também possibilita a contagem volumétrica de veículos, segundo informações do representante da EIT, Robson Sales. “Ele registra o número de veículos passando por faixa e a sua categoria, fornecendo informações úteis para a engenharia de tráfego, independente de haver infração ou não”, explicou.
Apresentado em coletiva à imprensa ontem como “incontestável”, o sistema gera duas imagens panorâmicas e conta com o chamado tempo de retardo, de três segundos,  que permite a identificação visual de que houve avanço do sinal vermelho. Após esse tempo, o dispositivo acusa que houve infração.
“A primeira imagem comprova que antes de o veículo adentrar o cruzamento, o sinal já estava vermelho antes do tempo de retardo. Após o terceiro segundo, o veículo já é registrado como avançando o sinal vermelho”, informou Robson Sales. No caso do condutor que alegar que parou sobre a travessia de pedestres para não “furar” o sinal vermelho, também não há desculpa. Isso porque o “olho vivo” só registra que houve infração depois de oito segundos, tempo que ele pode aproveitar para dar ré e voltar para trás da faixa de pedestres. (DA)

Leia Também