Terça, 21 de Novembro de 2017

Em encontro secreto, Serra e André discutiram aliança

7 ABR 2010Por 23h:20
lidiane kober

O governador André Puccinelli (PMDB) teve encontro secreto com José Serra (PSDB), em São Paulo, na semana retrasada, para discutir aliança em Mato Grosso do Sul. Ele sinalizou apoio ao tucano, mas avisou que não estará no dia 10, em Brasília, no lançamento de sua pré-candidatura à Presidência da República. Puccinelli deixou claro que só vai definir o seu rumo na sucessão presidencial depois do dia 15 de abril, quando encerra o prazo para o PT tentar acordo com o PMDB no Estado.

Em recente visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) a Três Lagoas, o governador se comprometeu a esperar até a metade deste mês para o PT decidir pelo enfrentamento ou pelo entendimento. No período, segundo Puccinelli, Lula agiria para tentar acabar com o projeto do ex-governador José Orcírio dos Santos (PT) de disputar o Governo do Estado. “Como o José Orcírio não deve desistir, 99% são as chances deste casamento (com o PT) não dar certo”, declarou Puccinelli, na semana passada.

Uma semana antes, em São Paulo, Puccinelli disse as mesmas palavras a José Serra. Além disso, ele destacou que as “afinidades são com o PSDB, não com o PT” e que não tem como ajudar a viabilizar dois palanques para ministra Dilma Rousseff (PT) na hipótese de o PT “ser antagônico no Estado”.
Os dois até chegaram a ensaiar discurso na eventualidade de Puccinelli ser cobrado por não apoiar a candidata de Lula, levando em conta o alto investimento do Planalto em Mato Grosso do Sul. Neste caso, eles pretendem destacar as ações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), além de frisar o comprometimento de Serra em “fazer muito mais pelo Estado”.

Previsões
A aproximação de Puccinelli e Serra vai ao encontro das previsões da cúpula do PSDB em Mato Grosso do Sul. A senadora Marisa Serrano (PSDB) chegou a ventilar disputar o Governo do Estado, mas sempre destacou a prioridade em manter o casamento com o PMDB.
Outro que sempre apostou na continuidade da aliança com os peemedebistas é o presidente regional do PSDB, deputado estadual Reinaldo Azambuja. “Em breve, em vez de 99%, serão 100% as chances de aliança”, disse. “Até o dia 15 de abril, devemos formalizar a parceria”, previu.

Segundo ele, faltam definir alguns pontos, como a composição da chapa proporcional. “Discute-se a possibilidade de lançarmos um chapão, mas a preferência do BDR (Bloco Democrático Reformistas) é disputar a eleição com uma chapa formada pelos partidos integrantes do bloco (PSDB-DEM-PPS)”, ressaltou.

Leia Também