Sexta, 24 de Novembro de 2017

Em dia de pouco movimento nos negócios, dólar fecha em baixa e Bovespa sobe

18 AGO 2010Por 06h:37
São paulo

Em uma sessão de poucos negócios, a taxa de câmbio doméstica fechou o dia praticamente estável ontem, após forte queda na véspera.
A cotação do dólar registrou baixa de 0,84%, influenciada pela grande entrada de capital no mercado brasileiro após a confirmação do presidente da Petrobras, José Sérgio Gabrielli, da capitalização da companhia em setembro.
“O movimento no mercado aconteceu, quando houve o anúncio de que a capitalização da Petrobras estava fechada para setembro. Não tivemos muitas notícias, então foi um dia sem negócios”, afirmou André Nunes, presidente do grupo Fitta.
De acordo com ele, se as notícias sobre a estatal se confirmarem, a taxa de câmbio deve cair mais.
Nesse cenário, o dólar comercial atingiu R$ 1,755 nas últimas operações do dia, em queda de 0,11% sobre o fechamento de segunda-feira. Os preços da moeda americana oscilaram entre R$ 1,750 e R$ 1,756. Nas casas de câmbio paulistas, o dólar turismo fechou em R$ 1,87, queda de 0,53%.
Ainda operando, a Bovespa sobe 1,31%, aos 67.574 pontos. Nos EUA, a Bolsa de Nova York opera em alta de 1,06%.
Os mercados de ações operam em alta desde o início da sessão hoje, impulsionados por dados econômicos e corporativos nos Estados Unidos. No Brasil, a valorização é puxada pela elevação nas ações das “blue chips” – as ações mais negociadas da Bolsa - Petrobras e Vale.

Juros futuros
No mercado futuro de juros, que serve de referência para o custo dos empréstimos nos bancos, as taxas projetadas também fecharam quase estáveis. Na segunda-feira, afirmações do presidente do Banco Central, Henrique Meirelles sobre as taxas de juros no País derrubaram os índices.
No contrato para outubro deste ano, a taxa prevista passou de 10,69% para 10,70%; no contrato para janeiro de 2011, a taxa projetada foi de 10,75% para 10,74%; e no contrato para janeiro de 2012, a taxa prevista caiu de 11,32% para 11,31%.

Leia Também