Sexta, 17 de Novembro de 2017

mundo

Em dia de eleições, confrontos matam três na Colômbia

31 MAI 2010Por 08h:40
Bogotá

A calma na qual as zonas urbanas colombianas viveram nas primeiras horas das eleições para a presidência contrasta com os combates, que deixaram dois soldados e um guerrilheiro mortos. O candidato governista Juan Manuel Santos, o mais votado, com 46,58% dos votos, disputará a presidência em segundo turno em 20 de junho com o candidato Antanas Mockus, do Partido Verde, que obteve 21,47% da preferência.

O resultado foi confirmado matematicamente com 98,13% das urnas apuradas.  Um candidato deve obter a metade mais um dos votos para chegar à Presidência. Caso contrário, será disputado um segundo turno entre os dois mais votados.
Um guerrilheiro das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) conhecido pelo codinome de “Chamizo”, morreu em combate no sudoeste do país. Outro rebelde foi capturado no conflito, segundo fontes militares.
Em outra zona rural localizada no centro da Colômbia, um soldado morreu em perseguição policial durante uma patrulha. O outro soldado teria morrido em confronto entre as Farc e o Exército, no norte do país.

Duas horas depois da abertura dos colégios eleitorais, o ministro do Interior e Justiça Fabio Valencia disse que as autoridades desativaram três artefatos explosivos.
Também foram registrados quatro ataques de rebeldes contra as tropas, mas que “foram controlados”. Disse ainda que nas proximidades das cidades de Florida e de Miranda, houve o registro de combates entre guerrilheiros e tropas.

Por outro lado, a 3ª Brigada do Exército em Cali (sudoeste) localizou e destruiu 70 minas, instaladas pelas Farc perto da cidade de Pradaria.
Ainda assim, o ministro da Defesa, Gabril Silva, minimizou uma possibilidade de caos, e disse que as eleições vão transcorrer em tranquilidade. “Essas serão as eleições mais tranquilas dos últimos 30 anos”, declarou. Quase 30 milhões de colombianos estavam habilitados para votar.

Leia Também