Sábado, 18 de Novembro de 2017

Em Corumbá alta nos custos foi de 10,8%

7 ABR 2010Por 23h:31
Sílvio Andrade, Corumbá

Com influência principalmente dos produtos hortifrutigranjeiros, o preço da cesta básica em Corumbá em março atingiu o maior aumento desde julho de 2008 – R$ 199,48 –, revelou pesquisa realizada pelos acadêmicos do curso de Ciências Econômicas da Faculdade Salesiana de Santa Teresa. A elevação foi de 10,83% em relação a fevereiro.

A banana (33,33%), a batata (29.66%) e o tomate (27,11%) puxaram o custo da cesta pelo segundo mês seguido. Outros produtos que tiveram alta significativa foram a farinha (20,92%), leite (15,29%), feijão (8,94%) e o café (4,59%). A carne bovina teve pouca variação: 0,15%. Em compensação, o preço do óleo de soja caiu 12,55%, e o pão francês, não teve diferenças de valores.

A elevação acentuada da cesta preocupou o economista Enrique Duarte Romero, coordenador da pesquisa e professor do curso. Apesar de acompanhar a alta que segue o comportamento registrado nas principais cidades do País, o que motivou o maior aumento dos últimos 20 meses foi o problema climático, a chamada sazonalidade, analisa Romero.

“Isso fica fácil de constatar se observamos, por exemplo, os produtos hortifrutigranjeiros, que foram os que mais aumentaram de preços. A partir do momento da vinda do outono em que as chuvas deixarão de cair com tanta assiduidade a tendência é que os preços se estabilizem, se não voltarem a cair”, explicou o economista.

Os produtos que compõem a Cesta Básica conforme o DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) representaram para o trabalhador corumbaense, em março, 39,11% do salário mínimo, que é de R$ 510. Ou seja: 86,5 horas trabalhadas para adquirir a cesta com 13 itens.

Leia Também