Quarta, 22 de Novembro de 2017

Em 2 meses, 79 crianças foram violentadas

18 MAI 2010Por 06h:48
Silvia Tada

Com cerca de 200 pacientes atendidos mensalmente – a maioria crianças vítimas de violência sexual –  o Centro de Atenção Psicossocial (Caps) especializado em tratamento pós-traumático, em Campo Grande, é o único funcionando atualmente no País.

No Dia Nacional de Luta contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, os números revelam um cenário preocupante. Em março deste ano, por exemplo, dos 211 pacientes, 101 eram crianças e destas, 39 foram violentadas. Em abril, dos 186 atendidos, 40 eram menores de dez anos vítimas desse tipo de violência.

De acordo com a gerente administrativa do Caps Pós-Trauma, enfermeira Daniely Morais Souza, os pacientes são encaminhados pelas unidades de saúde ou hospitais que verificam pacientes que sofreram algum tipo de violência ou estresse (luto, depressão leve, entre outros). Há também a demanda espontânea de pessoas que sabem do atendimento e procuram ajuda.

No centro, as vítimas passam por atendimento multidisciplinar, em tratamento que dura, aproximadamente, um ano. “Temos uma equipe formada por enfermeiras, assistente social, três psicólogas – especializadas no atendimento de crianças, adolescentes e adultos –, médico psiquiatra, técnicas de enfermagem, terapeuta ocupacional e três administrativos. Os pacientes passam por todos os profissionais”, explicou a gerente.

O local funciona desde dezembro de 2007 e é custeado pela Prefeitura de Campo Grande. O atendimento é ambulatorial, isto é, os pacientes vão até o centro, fazem as consultas e depois retornam para casa. “No caso específico das crianças, o trabalho é feito também com os pais ou responsáveis. A participação da família é muito importante na recuperação da vítima”. Quando o agressor continua convivendo com a vítima, é solicitado o acompanhamento do Conselho Tutelar.
O Caps Pós-Trauma está localizado na Rua Sebastião Lima, 1.323, Bairro Monte Líbano. Os telefones de contato são 3314-9964 ou 3314-9963.

Atendimentos
Outros Caps existem na cidade e têm atendimentos específicos, com pacientes com doença mental, depressão ou que sofrem com o vício em álcool ou em drogas.

No início do mês, foi realizado em Campo Grande encontro promovido pelo Comitê de Enfrentamento da Violência e de Defesa dos Direitos Sexuais de Crianças e Adolescentes (Comcex-MS). Uma das pesquisas divulgadas foi sobre o número de Centros de Referência Especializados de Assistência Social (Creas) e de Atenção Psicossocial.

Dos 23 Creas de 22 municípios e oito Caps pesquisados, verificaram-se a dificuldades como pequeno número de profissionais como advogados e pedagogos, falta de acessibilidade e de banco de dados sobre os atendimentos.

Atividades
Hoje é o Dia Nacional de Luta contra o Abuso e a Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. Estão previstas atividades como exibição de filmes em postos de combustíveis (Locatelli e Carvagio), passeata e adesivagem em Miranda e mobilização na Praça Ary Coelho, a partir das 8h.
A partir das 7h30min, acontece uma palestra sobre violência e afetividade, no Caps Infanto-juvenil, localizado na Travessa Ana Vani, 44, no Jardim dos Estados. Será abordada a influência de brinquedos, jogos, armas virtuais e games.

Leia Também