Sábado, 18 de Novembro de 2017

Eleição da Mesa será antecipada para depois do carnaval

14 FEV 2010Por 04h:51
eleição antecipada da Mesa Diretora da Câmara de Campo Grande deve acontecer até o início do mês que vem. “O acordo foi, vamos deixar para depois do carnaval. Pode ser na última semana de fevereiro ou, no mais tardar, até a primeira semana de março”, informou o vereador Paulo Pedra (PDT). Acordo neste sentido, explicou, havia sido firmado em reunião com o presidente Paulo Siufi (PMDB). Com isso, Siufi, candidato único, poderá ser reeleito nove meses antes de terminar seu primeiro mandato. Será o primeiro pleito a permitir a reeleição na direção da Casa de Leis local. Isso será possível devido à alteração proposta e aprovada pelos próprios atuais vereadores na Lei Orgânica do Município e no regimento interno, no ano passado. Conforme o atual vice-presidente, Cabo Almi (PT), o vereador Carlão (PSB) protocolou ofício na Casa solicitando a antecipação do pleito. Carlão confirmou, expl icando que entregou ofício à Mesa em dezembro último. “A eleição interna tem de passar por nós. Pedi para antecipar porque durante ou depois das eleições de outubro o debate político poderia interferir”, justificou. Pré-candidato a uma vaga na Assembleia Legislativa, Cabo Almi adiantou que não continuará na vice-presidência, e perguntado sobre quem deverá ocupar a vaga, disse acreditar que será o próprio Carlão. Este afirmou não saber se ocupará o cargo. “Não me falaram nada sobre isso”, disse. Quase unanimidade Apesar da repercussão negativa da chamada Lei da Pornografia e da pesquisa Ibrape divulgada neste início de ano pelo Correio do Estado, apontando que só 12% da população considera ótima ou boa a atuação da Câmara, apenas o vereador Alcides Bernal (PP) considera que a antecipação da eleição interna para reeleger o presidente pode piorar a imagem do Legislativo municipal. “Entendo que é preciso respeitar datas – limite estabelecidas. Embora não haja impedimento legal para antecipação. Creio não ser oportuno, é desnecessário”, afirmou. Em contrapartida, os demais consideram indiferente a data do pleito. “O Paulo Siufi já tem 17 dos 21 votos. Acho que não precisava antecipar”, disse o vereador Cabo Almi. “Acho que vai ganhar eleições de outubro quem tem proposta, trajetória e, infelizmente, aqueles que usam o poder econômico. A eleição interna da Câmara não interfere”, completou. A outra integrante do PT, Thaís Helena, que também é pré-candidata a deputada estadual, tem opinião semelhante. “Se a maioria quiser antecipar, não vou criar caso. Sendo agora ou no fim do ano, o resultado será o mesmo, o Paulo será reeleito para o segundo biênio”, disse. A vereadora justificou seu apoio dizendo que o atual presidente “deu independência à Casa que não se via havia muito tempo”. Sobre eventual repercussão negativa, afirmou não crer na possibilidade. “Não acredito que a população vai interpretar de maneira errada a antecipação. Se acontecer, vamos esclarecer que isso não altera em nada o processo”. Pré-candidato a deputado federal, o vereador Paulo Pedra (PDT) também acredita que a antecipação da Mesa não atrapalha os integrantes da Casa que vão disputar as eleições de outubro. “A eleição da Mesa agora ou depois não interfere nesse processo”, avaliou Pedra.

Leia Também