Segunda, 20 de Novembro de 2017

Drama vespertino

5 AGO 2010Por 07h:47
Márcio Maio, TV Press

Fazer uma novela que se chama “Araguaia” sem ao menos conhecer a região que dá nome ao folhetim pode parecer estranho. Mas às vésperas de completar 15 anos, Bruna Marquezine confessa que sentiu certo alívio ao saber que não fazia parte do elenco escalado para gravar em Goiás os primeiros capítulos da próxima novela das seis da Globo. Primeiro, para não prejudicar seu calendário de provas da escola. E também por conta dos preparativos de sua festa de debutante, prevista para o dia 6 de agosto. “Era final de semestre no colégio e eu e minha mãe tínhamos mil coisas para resolver sobre meu aniversário”, admite.
Na história de Walther Negrão, Bruna encarna Terezinha, uma menina que vive no orfanato da cidade. Mais velha das crianças, ela exerce uma espécie de proteção materna sobre os irmãos postiços que também foram abandonados pelos pais. “Vou gravar muito com o Otávio Augusto, que interpreta o padre que toma conta do lugar. O bacana é que já fomos pai e filha em ‘Cobras & lagartos’. Foi uma grande surpresa essa coincidência”, adianta a atriz.
Fora do ar desde que finalizou “Negócio da China”, em março de 2009, Bruna garante que o assédio do público não cessou, mas diminuiu nos últimos tempos. Isso porque muita gente não a reconhece à primeira vista. Também, pudera. A menina que estreou em 1999, no programa “Gente inocente”, e se tornou conhecida na pele da sofrida Salete de “Mulheres apaixonadas”, cresceu. Hoje, ainda com 14 anos, Bruna já mede 1,74 m. Uma altura que trouxe imprevistos em seus últimos trabalhos. Principalmente em “Desejo proibido”, quando viveu a curiosa Maria Augusta, irmã da doce Guilhermina e da espevitada Teresa, de Camila Rodrigues e Fernanda Paes Leme, respectivamente. “No início, formávamos uma escadinha. Mas o salto da Fernanda teve de crescer na mesma proporção que eu”, brinca.
      Bruna começa a gravar a novela já no início de agosto. Coincidentemente, na mesma época em que suas aulas retornam. Mas conciliar escola e trabalho é uma rotina desde que assinou seu primeiro contrato longo com a Globo, há seis anos. “Saio do colégio às 12h40min e chego à emissora às 13 horas. Almoço e fico esperando para entrar em estúdio, já que as gravações voltam às 14 horas”, explica a menina, com ar de adulta. Para isso, Bruna precisou se mudar de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde nasceu, para a Barra, na Zona Oeste do Rio.
Interpretar uma menina ingênua depois de viver a lutadora Flor de Lys em “Negócio da China” é algo motivador, na opinião de Bruna. Tanto que ela não se preocupa se isso pode retardar a mudança de faixa etária de seus personagens na tevê. “Sei que alguns me veem como criança ainda, mas outros percebem que eu cresci e sou uma adolescente”, afirma, taxativa. Mas valoriza o fato de estar sempre no ar enquanto via as transformações em seu corpo. “Acho que isso me favorece, porque o público acompanhou minha transição no ar. Fica mais fácil entender que não sou mais a Salete ou a Flor de ‘América’”, pondera, lembrando da criança cega que interpretou na trama de Glória Perez, em 2005.

Leia Também