Terça, 21 de Novembro de 2017

Dos 9 presidenciáveis, 6 escreveram ou foram retratados em livros

19 JUL 2010Por 20h:02
São Paulo

Livros considerados raros em sebos ou até mesmo que ainda serão lançados poderão ajudar quem busca saber mais sobre seis dos nove candidatos à Presidência da República. A relação das obras escritas pelos presidenciáveis ou sobre eles inclui biografias, relatos de viagens, análises políticas e ensaios sobre o futuro do país.
Levantamento feito pelo portal de notícias G1, confirmado pela assessoria dos candidatos, localizou obras relacionadas a Ivan Pinheiro (PCB), José Serra (PSDB), Marina Silva (PV), Plínio Arruda Sampaio (PSol), Rui Costa Pimenta (PCO) e Zé Maria (PSTU).
Não foram indicadas pelas assessorias obras ligadas a Dilma Rousseff (PT), José Maria Eymael (PSDC) e Levy Fidélix (PRTB). No caso de Dilma, uma biografia chegou a ser cogitada na pré-campanha, mas a ideia foi abandonada, segundo integrantes da equipe petista.
Marina Silva não figura na lista dos escritores, embora cultive o hábito de escrever poemas e já tenha duas letras musicadas. Entretanto, a senadora acreana, de origem pobre e alfabetização tardia, já teve a vida contada em três biografias, de acordo com sua assessoria. A mais recente será ainda publicada em agosto pela Editora Mundo Cristão.
A escritora da obra ainda inédita “Marina – A Vida por uma causa” é a jornalista Marília de Camargo César.
“Ela me surpreendeu positivamente. Diria que é uma pessoa que tem um sentido de missão. Ela luta pela vida”, conta a jornalista, que começou o projeto no fim de 2008.
José Serra também tem a vida contada em uma biografia, “O Sonhador que faz”, de Teodomiro Braga, lançada em 2002. Na lista de presidenciáveis, Ivan Pinheiro é outro que teve a vida retratada em livro: “Atitude Subversiva”, de Hiran Roedel. “É um livro de trajetória, com fotos e documentos, porque não estou tão velho para uma biografia”, brinca o candidato, que tem 64 anos. Marina tem 52 e Serra, 68 anos.
Plínio Sampaio, com seus 80 anos incompletos, prefere não pensar ainda em livro sobre sua vida, mas coleciona quase 20 títulos que escreveu sozinho ou para os quais contribuiu. A obra de Plínio pode ser dividida em livros de caráter mais acadêmico e outros com enfoque popular.
“A que gosto mais é a literatura popular, que pessoas com primário bem feito podem entender”, disse. Com essa preocupação escreveu “O que é corrupção” e “Construindo o Poder Popular”, entre outros.
O único relato de viagem entre as obras listadas é de Ivan Pinheiro, que em 1985 contou suas impressões sobre a Bulgária, país que esteve sob a influência da ex-União Soviética após a Segunda Guerra Mundial e cujo governo comunista terminou em 1990.
Rui Costa Pimenta tem quatro títulos publicados: “O Que é o Trotkismo” e “Autópsia de uma Campanha de Calúnias”, ambos pela Editora Causa Operária; “Dos Crimes Contra a Propriedade Intelectual” e “Em Defesa do Marxismo - as Tendências Trotskistas na Origem do PT”.
Zé Maria escreveu “Os Sindicatos e a luta contra a burocratização”, publicado pela  Editora Sundermann (2007).

Leia Também