Quinta, 23 de Novembro de 2017

Diversão e encantamento

15 JUL 2010Por 07h:27
Thiago Andrade

Aventura, descanso, belezas naturais e água – muita água – são algumas coisas que os turistas podem encontrar em Foz do Iguaçu, Paraná, localizada a menos de 800 quilômetros de Campo Grande. Para chegar à cidade é fácil. A Trip Linhas Aéreas oferece um voo diário – que sai de Corumbá, passa por Campo Grande, Maringá,  e Londrina, seguindo para o destino – com preços a partir de R$ 199, assim como a TAM, esta, com preços um pouco mais salgados. Com grande potencial turístico, os guia sem Foz de Iguaçu alertam que apenas um fim de semana é pouco para aproveitar tudo que a cidade oferece.

Segundo eles – a cidade conta com mais de 800 guias turísticos – sete dias são o mínimo para aproveitar passeios pelo Parque Nacional e pelas Cataratas de Iguaçu, pela Hidrelétrica Binacional de Itaipu, Parque das Aves, entre outros, e ainda dar uma esticada até Puerto Iguazu, cidade argentina que faz fronteira com o Brasil e abriga parte das numerosas quedas d’água que tornaram a região tão famosa.

A Secretaria de Turismo de Foz do Iguaçu tem investido pesado para manter a cidade como um dos grandes destinos turísticos do Brasil e do Mundo, portanto, não estranhe a quantidade de idiomas falados no local. Entre as medidas, está a capacitação de guias com conhecimentos históricos, culturais e curiosidades diversas sobre a região. Fazer um passeio ao lado de um deles é, com certeza, uma ótima forma de aprender mais sobre o destino escolhido.
O Parque Nacional e as Cataratas do Iguaçu são provavelmente os símbolos mais conhecidos da cidade. Fundado em 1939, o Parque Nacional tem cerca de 185 mil hectares do lado brasileiro, além de mais 67 mil hectares no lado argentino. As cataratas têm 275 saltos espalhados nos dois mil metros de extensão e são uma verdadeiro espetáculo natural. A força e o volume das águas assustam e, ao mesmo tempo, hipnotizam os numerosos turistas que se apinham nas pontes para assistir às quedas o mais próximo possível.

Do lado brasileiro é possível ver as cataratas de diversos ângulos, assim como o lado argentino possibilita outros. É bom ir preparado para se molhar, pois os respingos d’água parecem mais uma garoa. Dentro do parque também existem os passeios do Macuco Safári, que vão de rafting ao Rio Iguaçu a rapel por suas encostas. Entre os mais populares está o passeio de barco que se aproxima o máximo possível da Garganta do Diabo. Se não quiser se molhar completamente, é melhor evitá-lo.

Hidrelétrica
O passeio pelo Parque Tecnológico Itaipu também não pode ficar de fora. A hidrelétrica é um marco da construção civil, com proporções que fazem qualquer pessoa se sentir minúscula. É possível escolher entre alguns tipos de visita, desde a mais simples àquela que leva o visitante ao coração da hidrelétrica mostrando o funcionamento das turbinas. Durante o passeio guiado é possível conhecer um pouco mais sobre o funcionamento deste espaço.
Mas onde se hospedar em Foz do Iguaçu? Hotéis e pousadas não faltam, com valores para todos os bolsos. Um dos que se destacam é o Mabu Thermas & Resort, localizado na rodovia chamada de Avenida das Cataratas. Localizado a cinco quilômetros do centro, o hotel conta com diversas atrações, como piscina de fontes termais, espaços para lazer, restaurantes, bar, entre outros.

No mês de julho, a diária para o quarto padrão aos finais de semana é de R$ 890, no sistema all-inclusive, que dá direito a quatro refeições. Cada quarto tem duas camas de casal, oferecendo hospedagem para a família inteira, desde que as crianças tenham menos de 12 anos. Mais informações, como localização de hotéis e pontos turísticos, de Foz do Iguaçu podem ser encontradas no site: www.fozdoiguacu.pr.gov.br.

Leia Também