Sexta, 17 de Novembro de 2017

Dilma fará "visita relâmpago" a Campo Grande na quinta-feira

16 MAR 2010Por 07h:50
A ministra-chefe da Casa Civil e pré-candidata petista à sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Dilma Rousseff, deve fazer uma “visita relâmpago” a Campo Grande na próxima quinta-feira para participar, à noite, da abertura da 72ª Exposição Agropecuária da Capital (Expogrande). O evento está marcado para as 18 horas e a previsão é de que a ministra desembarque às 16h na cidade. Enquanto petistas encarregaram o senador Delcídio do Amaral de tentar agendar uma reunião de lideranças regionais do partido com a ministra, o prefeito Nelsinho Trad espera levar Dilma a visitar a obra Imbirussu-Serradinho, financiada, em parte, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). “Quem organiza a agenda da ministra é o cerimonial da Casa Civil em contato com o Governo do Estado e com a prefeitura. Caso ela queira visitar a obra, estamos à disposição. Temos muita coisa pronta a mostrar”, disse ontem o prefeito. Conforme Nelsinho, a obra tem três componentes que chamaram a atenção da ministra em conversas anteriores: “O aspecto do meio ambiente, com a conservação do fundo de vale preservando toda a mata ciliar; a questão habitacional com a remoção de 850 famílias removidas já todas assentadas num raio de dois quilômetros da intervenção conforme diretrizes do Ministério das Cidades; e o sistema antienchentes, que inclui drenagem na região da Vila Popular”, disse Trad. “Para terminar a obra, falta só concluir as pontes ligando um lado ao outro do córrego Imbirussu”, afirmou. Encontro petista Enquanto isso, petistas esperam que Delcídio do Amaral consiga marcar uma reunião com a ministra pré-candidata durante a visita. “Pedimos ao senador para conversar com o chefe de gabinete da Casa Civil, Giles de Azevedo, e conseguir encontro de nossas lideranças com a ministra”, informou ontem o presidente regional do PT, Marcus Garcia. O objetivo é falar com a pré-candidata sobre a campanha presidencial em Mato Grosso do Sul, já que o partido enfrentará na disputa do governo estadual o PMDB, que em nível nacional deve apoiar Dilma. “Pretendemos saber o que a ministra pensa sobre como deve ser tratado esse embate em nível regional”, disse Garcia. Mesmo que o governador André Puccinelli (PMDB) decida a ceder um duplo palanque a Dilma, apesar do enfrentamento com o ex-governador José Orcírio Miranda dos Santos (PT), os petistas não abrem mão de coordenar no Estado a campanha presidencial da candidata a suceder Lula. “A campanha da Dilma em nível estadual deverá passar necessariamente pelo PT”, adiantou o dirigente partidário. PAC 2 O senador Delcídio do Amaral disse que apesar de ele e demais integrantes da bancada federal buscarem atrair recursos para Mato Grosso do Sul referentes à segunda etapa do Programa de Aceleração do Crescimento, o chamado PAC 2, Dilma Rousseff não “deve fazer grandes anúncios na visita de quinta-feira, embora isso não signifique que não existam grandes anúncios a fazer”. Conforme o senador, a visita da ministra deve mesmo ser rápida e se restringir ao ato de abertura da Expogrande. “A Dilma vem ao Estado para prestigiar a feira, os produtores rurais e a população de Mato Grosso do Sul”, resumiu. Delcídio, que começa a conciliar a agenda parlamentar com reuniões políticas visando a reeleição e tentará conseguir o encontro dos petistas estaduais com a ministra, afirmou que seu tempo está cada vez mais escasso com o início da pré-campanha eleitoral. “Estou batendo escanteio e cabeceando na área”, ilustrou.

Leia Também