Sábado, 18 de Novembro de 2017

Detento que fugiu de hospital é morto em tiroteio com a polícia

17 FEV 2010Por 07h:52
Aelinton Amaro Pinto, 27 anos, que fugiu do Hospital Regional de Campo Grande no último dia 9, foi morto na segunda-feira, após troca de tiros com policiais da Companhia Independente de Gerenciamento de Crises e Operações Especiais (Cigcoe). Conhecido como “Playboy”, ele foi encontrado após uma denúncia anônima, em uma residência na Vila Romana, bairro afastado da região oeste da Capital. A perseguição teve início por volta das 19h30min, de segunda-feira, e, de acordo com a Santa Casa de Campo Grande, o homem morreu às 22h04min. O seu corpo foi levado para São Paulo, onde será sepultado. Se não fosse a denúncia, o paradeiro do “Playboy” permaneceria desconhecido, mesmo após as intensas buscas efetuadas pela Polícia Militar, com apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Quando o fugitivo foi encontrado, ele ainda empreendeu fuga e passou por várias casas do local, escondendo-se, por fim, na residência de número 11. Segundo moradores, Aelinton pulou o muro de seis residências e acabou se escondendo em uma delas ao perceber que estava vazia. “Minha mãe mora aqui e foi até a casa da minha irmã tomar mate. Eu e minha esposa havíamos saído para trabalhar e, graças a Deus, minha mulher se atrasou no serviço”, conta Carlos Balbuena, 41 anos, morador do imóvel em que o marginal foi encontrado. Moradores afirmam que a polícia chegou ao local atirando. Houve troca de tiros dentro da casa, tendo os projéteis marcado paredes, portas e destruído a porta de vidro do fogão. Playboy foi encontrado embaixo de uma cama, com ferimentos provocados pelos disparos, no peito, no abdômen e no braço. A polícia afirma que o foragido disparou cinco vezes quando os policiais entraram no cômodo em que ele se escondia. Foram apreendidos um revólver calibre 38, aparelho e chips de celular, além de maconha. Apesar de ter sido socorrido, ele não resistiu aos ferimentos e faleceu antes de dar entrada na Santa Casa. A Polícia Militar se recusa a dar mais informações sobre o caso. De acordo com populares, Playboy chegou ao bairro em um carro branco, que não teve modelo especificado. A motorista era Ana Maria Coelho da Silva, 50 anos, e foi presa pela Polícia Militar. Segundo a PM, a mulher pode ter refugiado o bandido. Na casa dela foram encontradas roupas, drogas, aparelho de celular e chips. A polícia acredita que ela estava dando cobertura ao ladrão. Fuga Aelinton fugiu no dia 9 de fevereiro, junto de Odevilson Marson Martines Maldonado, 28 anos, do Hospital Regional, após fingir passar mal. Para a fuga ele rendeu o policial que o acompanhava na sala de espera do estabelecimento hospitalar. Os dois cumpriam pena no Estabelecimento Penal de Segurança Máxima. Playboy já tinha passagem pela Colônia Penal Agrícola (CPA), que fica próxima ao bairro onde foi encontrado na noite de segunda-feira. Seis dias antes da fuga, o marginal se envolveu em um escândalo no presídio. Ele foi pego em flagrante utilizando um buraco, chamado pelos detentos de “internet”, para acariciar os seios de uma advogada enquanto se masturbava. O buraco permitia que celulares e drogas pudessem ser entregues aos detentos. Playboy também era apontado como um dos líderes do Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa que atua em presídios do País inteiro. Ele cumpria pena por roubo e tráfico.

Leia Também