Sábado, 18 de Novembro de 2017

Deputados depõem na ação contra Rigo e Onevan

27 FEV 2010Por 05h:02
A defesa dos deputados estaduais Ary Rigo e Onevan de Matos, que correm o risco de perder o mandato por trocar o PDT pelo PSDB, alegou ontem ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que atitudes do deputado federal Dagoberto Nogueira (PDT) os forçaram a deixar o partido. Em contrapartida, Dagoberto acusou os ex-correligionários de seguir ordem do governador André Puccinelli (PMDB) para sair da legenda. O deputado estadual Youssiff Domingos (PMDB), por exemplo, testemunhou a favor de Rigo e Onevan e engrossou a teoria da defesa. Para ele, Dagoberto tinha dois propósitos: se tornar presidente regional do PDT e fechar a aliança com o PT em troca da vaga de candidato ao Senado. “Na disputa com Rigo pelo diretório regional, ele (Dagoberto) se sentia inferior, por isso, apelou à direção nacional, que acabou destituindo o Rigo”, disse. No caso da sucessão estadual, Youssiff acredita que o deputado federal percebeu que, se R igo continuasse como presidente regional, o PDT poderia marchar com Puccinelli, levando em conta a aliança da bancada estadual do partido com o governador na Assembleia Legislativa. “Mas o projeto político do Dagoberto era ficar com o PT”, destacou. Diante das diferenças, a defesa de Rigo e Onevan alegou a perseguição do deputado federal aos ex-correligionários para atender seus interesses políticos. “Além disso, o João Leite Schimidt (interventor do PDT do Estado) disse publicamente que os deputados não teriam garantia de ter legenda para concorrer à reeleição”, finalizou Youssif. O outro lado Já para Dagoberto, a troca do PDT pelo PSDB foi motivada por interesses pessoais dos deputados e para atender a ordem do governador André Puccinelli. “Vamos mostrar que para eles só servia se fosse para ficar com o André, independentemente do interesse do partido, desde que ficasse atendendo os interesses individuais deles e do governador”, declarou. Convicto de que está certo, Dagoberto aposta na perda do mandato de Rigo e de Onevan. “Eu acho que, se seguir o que está seguindo em todo o País, eles vão perder o mandato”, opinou.

Leia Também